Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Thiago Rodrigues. Esforce-se para alcançar o impossível – teatro e crítica

Análise. Dans la mesure de L’inossible é o mais recente espetáculo escrito e dirigido por Tiago Rodrigues sobre quem trabalha em missões humanitárias, Foi apresentado na estreia nacional em CSS em Udine, em maio no Teatro Piccolo em Milão.

Foto de Magali Dugados

Há um momento entre as conexões técnicas que antecipam o espetáculo e o último (ao invés do início, deveríamos falar propriamente de uma introdução), de onde emerge a caixa do método de fazer teatro. Thiago Rodrigues: Natasha Kuchumovque é responsável por comunicar uma mudança no número de atores no palco devido ao Covid, é o porta-voz por querer subir ao palco de qualquer maneira no palco Teatro Palamostori subordinar CSS de Udine Alegando que “o objetivo principal do espetáculo é o que nos leva a fazê-lo”, ele nos tranquiliza dizendo que o trabalho, um conjunto de solos, é “perfeito o suficiente para ser executado”, acrescentando que anos após o fim da pandemia há “ uma grande vontade de voltar ao trabalho e ver o palco.” “. Ele faz uma pausa e então, quase maliciosamente, conclui dizendo: “Agora essa é a primeira linha do show: eu não gosto de teatro”.

Foto de Magali Dugados

Notamos a natureza natural do deslizamento entre o ator e o personagem que sua voz e seu corpo lhe conferem, que tangencia a contradição entre o desejo de um e a indiferença do outro; Este último não gosta de teatro, ou melhor, não se importa com isso porque é um filtro entre ele e o mundo, uma lente de reflexão e um meio, enquanto protagonista de histórias. Dans la mesure de Iimpossible Ela não tem experiência através da mediação, exceto através dela. Junto com ela, mais dois personagens (interpretados não apenas por Koutchoumov, mas também por Adrian Parazoni E a Baptiste Costnobleausente Beatrice Brass) compartilham parte de seu trabalho no âmbito de missões humanitárias; Os voluntários que fizeram de seu trabalho o que outros chamam de “campeões”. Tanto na introdução quanto no epílogo (deliberadamente leve e representativo a despeito de si) as testemunhas parecem fornecer orientações sobre como os atores devem interpretá-las e como suas histórias devem ser contadas: elas se apegam às suas vidas normais (“também falar de sexo, se ele faz muito quando espera dias!”), aos vícios de forma que, como em qualquer trabalho, envolvem o favoritismo, o despreparo, a evasão e as dificuldades inerentes a um trabalho que fica na linha de guerra, uma esperança também encontrada nos símbolos cujo uso ainda não é conhecido Seus significados, e o conhecimento terrível e restrito de seus amigos quando voltam para casa, quando o interesse pelo que fazem é imediatamente dissolvido. Entra nos ziguezagues mais dolorosos e complexos.

READ  "Eu também chamei Flavio Insinna"
Foto de Magali Dugados

Um herói, dos mitos fundamentais aos sucessos de bilheteria do cinema contemporâneo, é aquele que lida com questões maiores do que o indivíduo, carrega propositalmente o peso do mundo e assume a responsabilidade de salvar pelo menos parte dele. . O que articula poderosamente as vozes dessas personalidades (cujos testemunhos Rodriguez reuniu ao encontrar vários profissionais do setor, apoiados pelo CICV, bem como a Parceria Produtiva Suíça-Francesa, Italiana e Portuguesa) é, ao contrário, um abismo entre o ato de desejo em a primeira pessoa, e a advocacia O cívico íntimo que quer influenciar as sociedades – “Vou salvar o mundo” – e a consciência de ir para uma medida impossível – “O mundo não pode ser salvo” -, por desespero ao grandes feitos para os quais muitas vezes não estamos preparados e pequenos gestos de humanidade, bálsamo para si mesmo e para quem o aceita.

Foto de Magali Dugados

A escolha do básico, típico de um realizador, dramaturgo e ator português, prende-se certamente com a cena, repleta de histórias e uma enorme cortina que se desloca durante o espetáculo de uma referência ao espaço para um lugar concreto, no qual sentimos sempre o nosso olhar. Mais bem-vindo “dentro”. Mas para que o teatro seja um lugar de participação e reflexão, não se pode jogar o jogo de uma facção ou de outra, opta-se por não identificar nomes, regiões e associações específicas, como um voluntário que não faz frente ao ferido. Veja a cor de sua bandeira. Então todas as áreas mencionadas são “lugares do impossível”, e o teatro, que não pode realmente aparecer, pode, no entanto, devolver essa tensão para essa escala de impossibilidade. O tom natural e intencional e a apresentação dos intérpretes são principalmente funcionais para a história, e a passagem de testemunhos torna este encontro um momento envolvente. A única “franquia artística” além de um dossel que antes de ser totalmente erguido para visualização cabe na memória de trilhas, montanhas ou florestas, é o conjunto de percussão (música composta por Gabriel Ferrandini e jogue diretamente de Pedro CostaA princípio escondido da vista, depois se tornando cada vez mais aparente. Há também um sino na lateral do palco, que nunca será tocado diretamente, mas podemos ouvir os estrondos causados ​​pelas vibrações da bateria. Mesmo esse som esmagador pode parecer impossível, mas é uma evidência tangível de uma ação subterrânea e contínua que atinge nossos ossos, tanto nossos quanto deles. Talvez, então, esses números, insanos de baixas, bombardeios, pobreza ou pedidos de ajuda, possam parecer mais realistas e não apenas notícias ou, pior, entretenimento.

READ  Ana González è é chefe dos canais infantis na Península Ibérica e na Itália, de acordo com a WarnerMedia

Viviana Rassetti

Visualizado em CSS em Udine, fevereiro de 2022

Datas no calendário da turnê

Teatro Nacional da Bretanha, Rennes (F)
10 a 11 de março de 2022
Liquinox – Cena nacional de Châteauroux (F)
De 15 a 17 de março de 2022
CDN Orleans – Val de Loire (F)
De 25 a 26 de março de 2022
TPR – La-Chaux-de-Fonds (CH)
29 a 31 de março de 2022
CDN Besançon Franche-Comté (F)
De 5 a 7 de abril de 2022
Théâtre de la Cité – CDN Toulouse Occitânia (F)
12 a 14 de abril de 2022
La Coursive Scène Nationale La Rochelle (F)
26 a 27 de abril de 2022
Teatro de Arles (F)
29 de abril de 2022
Théâtre des Salins, Scène nationale de Martigues (F)
4-6 de maio de 2022
Maillon Théâtre de Strasbourg – Scène européenne (F)
De 10 a 13 de maio de 2022
Théâtre du Nord, CDN Lille – Tourcoing (F)
18 a 19 de maio de 2022
Scènes du Golfe – Théâtre Anne de Bretagne – Vannes (F)
25-27 de maio de 2022
Piccolo Teatro di Milano – Teatro da Europa
2 a 12 de junho de 2022
Teatro Nacional D. Maria II – Lisboa (P)
16 de setembro – 15 de outubro de 2022
Odéon-Théâtre de l’Europe para o Festival Automine, Paris

Dans la mesure de Iimpossible

Texto e direção Thiago Rodríguez
Traduzido por Thomas Resendes
Intérpretes: Adrien Parazoni, Beatrice Brass, Baptiste Costnoble, Natasha Kuchumov, Gabriel Ferrandini (músico ao vivo)
Miras/Luzes por Laurent Junod
Composição musical, música de Gabriel Ferrandini, voz de Pedro Costa
A moda de Magda Bizarro
Assistente de direção Lisa Cuomo
Co-produção Comédie de Genève com Odéon – Théâtre de l’Europe – Paris, Piccolo Teatro di Milano – Teatrouropa, Teatro Nacional D. Maria II – Lisbonne, Équinoxe – Scène nationale de Châteauroux, CSS FVG – Udine, Festival d’Au à Paris, Théâtre national de Bretagne – Rennes, Maillon Théâtre de Strasbourg – Scène européenne, CDN Orléans – Val de loire, La Coursive Scène nationale La Rochelle
Com a ajuda do Comitê Internacional da Cruz Vermelha – CICV Croix Roge

READ  Se necessário, a Ucrânia pode ganhar. Meu pai? Eu só falo através da minha mãe »- Corriere.it

Artigos e críticas teatraisque é o resultado de pesquisas diárias, escritas e discussões aprofundadas, Está de graça há mais de 10 anos.
Se você gostou do que leu e achou útilQue tal nos apoiar com pequena contribuição?