Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Problemas iminentes para a rainha: reivindicação de compensação do bilionário


A ministra da Cultura jamaicana, Olivia Grange, anunciou que deseja pedir à rainha Elizabeth, que governa todos os estados da Comunidade, incluindo a ilha do Caribe, uma compensação pelos danos causados ​​pela escravidão.

Embora a estrutura geopolítica contemporânea tenha mudado significativamente em comparação com aquela expressa perto da Segunda Guerra Mundial, As consequências da política de escravidão e colonialismo Continuando a sentir por si mesmos, especialmente naqueles países onde o peso do tráfico de escravos afetou a economia daquela época de forma tão severa que ele ainda pode ver suas consequências hoje.

Leia também => Euro 2020, as teorias ridículas da Inglaterra sobre a alegada mensagem oculta da Rainha

Nesse sentido, a doutrina jurídica conhecida como “justiça restaurativa”, Trata-se de uma abordagem que consiste em olhar o crime em termos dos danos causados ​​às vítimas.

Embora essa linha de pensamento se aplique principalmente aos crimes inerentes à pessoa e, portanto, principalmente aos crimes criminais, fala-se cada vez mais sobre a justiça restaurativa também se aplicando a Crimes cometidos pelo Estado e instituições.

Na esteira dessa reflexão, chega da Jamaica um anúncio que não é exatamente o que se esperaria todos os dias, principalmente em termos diplomáticos.

Jamaica pede indenização à rainha Elizabeth pelo comércio de escravos تجارة

Ministro da Cultura da Jamaica Olivia Barn Ele anunciou há poucos dias que gerou uma petição com o objetivo de solicitar Indenização por danos causados ​​pela escravidão à Rainha Elizabeth.

LEIA TAMBÉM => Raiva feud entre Harry, William, Kate Middleton e Meghan Markle tenta consertar as lágrimas

READ  Emirates Airlines: uma perda de 6 bilhões: um em cada três funcionários é demitido

O domínio britânico realmente leva o título “Rainha da Jamaica”A ilha caribenha faz parte da Comunidade. Conforme relatado no Express.co.uk, Grange afirmou que deseja fazer esta petição à Rainha para solicitar um Indenização em nome de todos os cidadãos jamaicanos.

“Estamos particularmente satisfeitos em anunciar que demos mais passos em nosso progresso para encontrar um Justiça restaurativa para as vítimas e descendentes do tráfico transatlântico de escravos “Ministro disse.

Leia também => Mensagem oculta no site da Archewell: Harry e Meghan estão no furacão

De acordo com esta política, a petição teria o total apoio da Junta Nacional de Compensação da Jamaica, concordando que “As Câmaras do Procurador-Geral avaliarão o mérito da petição caso o Governo da Jamaica participe da mesma.”

A questão já foi levantada em 2015, quando as instituições locais começaram a fazer uma série de pedidos à Jamaica por ocasião da visita do então Primeiro-Ministro britânico David Cameron. Compensação bilionária como “compensação” pelos danos morais e econômicos infligidos à Inglaterra durante o período colonial.

Leia também => O filho secreto de Carlo e Camilla tem outra pista: os detalhes o unem ao Príncipe

Jamaica se tornou uma colônia britânica a partir de 1707 E desde aquele ano, ele teve que arcar com todas as consequências do comércio de escravos muito agressivo. Não é por acaso, aliás, que a Inglaterra e Portugal são historicamente citados como os dois países mais dedicados à prática do tráfico de escravos.

Nenhuma resposta oficial veio da Grã-Bretanha sobre este assunto, mas Thomas Miss Archer Mills, historiador e fundador da British Royal Society (portanto, fortemente aliado a favor da monarquia), A alegação da Jamaica é ilegal.

READ  Esses eventos determinarão os rumos do mercado de ações de 7 a 11 de junho e marcarão novos aumentos ou correções inesperadas

As razões, segundo ele, podem ser encontradas no fato de a Inglaterra já ter cumprido suas obrigações para com a ilha, aliás.“Os indivíduos, povos e países de hoje devem assumir a responsabilidade por si mesmos, suas ações e situações, e parar de culpar a história e os momentos menos prósperos de seu passado.”

O Ministro de Gênero, Cultura, Recreação e Esportes da ilha caribenha também saudou a iniciativa proposta por Grange.

O que é certo, além de qualquer opinião sobre o assunto, é a partir do ano em que foi proclamada a independência da ilha da coroa inglesa, ou seja, 1962, Jamaica, sujeito em qualquer caso a Protetorado inglês, paga todas as consequências de uma série de políticas econômicas em benefício de alguns.

TAMBÉM LEIA => Harry e Meghan Markle cortam? Documento expõe mentiras

Na verdade, o país caribenho está gradualmente passando por Sob o controle de empresários estrangeirosque, sob o pretexto de praticar obras de caridade, Eles demolem favelas e implementam uma política econômica aleatória Em que os habitantes mais pobres do lugar pagam as conseqüências sem colher nenhum benefício.