Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

O Ministério da Ciência em discussão: é hora de estabelecê-lo?

O governo do presidente Pedro Castillo apresenta sua proposta para a criação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Parece que uma de suas principais promessas eleitorais foi dar os primeiros passos com a formação de uma força-tarefa multissetorial que elaborará um projeto de lei que criará o que será o vigésimo arquivo ministerial.

aparência: Novas regras da Concytec para cientistas: ‘Agora um pesquisador deve provar que tem uma atividade’

Enquanto, A controvérsia aumentou entre os estudiosos peruanos. É hora de criá-lo? Quais são os possíveis prós e contras? Será criada mais burocracia ou o processo de tomada de decisão será simplificado? Estes são alguns tópicos para discussão.

A esse respeito, Comercio solicitou a opinião do pesquisador peruano Percy Maita Tristan, Editor Científico e Diretor de Gerenciamento de Projetos e Promoção da Pesquisa da Southern Scientific University; Benjamin Martina, presidente do Conselho Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Tecnológica (Concytec), atual órgão de governo; Modesto Montoya, Assessor Científico da Presidência. Aqui estão suas posições:

“Universidades são principalmente procuradas”

Percy Mayta Tristan

Percy Maita Tristan, Editor Científico e Diretor de Gerenciamento de Projetos e Promoção da Pesquisa da Southern Scientific University. (Foto: transmissão)

Embora o ministério fosse uma promessa no campo, A comunidade científica não compartilha unanimemente de sua necessidade. O que a ciência precisa no país é um orçamento maior que inclua financiamento de pesquisas, vagas para pesquisadores e programas para treinar e reter médicos. Mas o orçamento para ciência, tecnologia e inovação para 2022 não aumentou, então vai contra o suposto interesse pela ciência.

Também existe a preocupação de que recentemente, no governo do presidente Sagaste, várias mudanças foram feitas no sistema nacional de ciência, tecnologia e inovação que ainda estão em implementação. A incerteza sobre a criação do ministério vai atrasar os projetos da Concytec, ProCiencia (ex-Fondecyt) e ProInnovate (ex-Innovate).

Por outro lado, as pesquisas são realizadas principalmente em universidades, as quais não foram consideradas pelo órgão. [qrupo de trabajo multisectorial formado por la PCM]Bem como a Academia Nacional de Ciências ou o setor privado.

“Com ministério e sem grandes investimentos, podemos aumentar a produção científica e tecnológica”

Modesto Montoya

Presidente do Instituto Peruano de Energia Nuclear (IPEN) e Assessor Presidencial para Assuntos Científicos.  (Foto: Hugo Perez / El Comercio)
Presidente do Instituto Peruano de Energia Nuclear (IPEN) e Assessor Presidencial para Assuntos Científicos. (Foto: Hugo Perez / El Comercio)

Hoje a riqueza dos países está em seus produtos tecnológicos. Eles não estão mais sozinhos nos recursos naturais. Portanto, a gestão da ciência, tecnologia e inovação é exigida pelos níveis mais altos da estrutura estadual.

Lembre-se que a primeira coisa criada após a independência do Peru foi o Ministério da Guerra e da Marinha e o Ministério das Relações Exteriores. Isso porque a prioridade era consolidar a independência. Hoje, Prioridades dos países na produção de produtos de tecnologia Para enfrentar os desafios do século 21, como o desafio colocado pela pandemia COVID-19.

A competição atual entre os países é por talentos científicos e tecnológicos. Na ausência de políticas de alto nível, o Peru perdeu muitos talentos. O número de cientistas por milhão de habitantes é um décimo do Chile, por exemplo.

[Con el ministerio] É simplificar a burocracia. Elevar o Concytec ao nível ministerial, para ter mais poderes para se reunir perante empresas privadas, imprensa e organizações sociais em geral. Além disso, os processos serão acelerados, na medida em que será possível interagir melhor com os diferentes estados da estrutura estadual.

Por outro lado, a atual burocracia pode não ser eficiente, devido à falta de um órgão de governo com hierarquia superior à da Concytec. Os fundos do setor são diversos, dispersos e quase desabitados. A incorporação desses fundos tornará sua gestão mais eficiente.

Os institutos públicos de pesquisa também estão divididos e desarticulados, o que se reflete no declínio de sua produção científica e tecnológica.

Nossa experiência em institutos, universidades e na Concytec nos leva a concluir que, com um ministério e sem grandes investimentos, podemos aumentar a produção científica e tecnológica. Isso é chamado de otimização de recursos.

“Ministério [de Ciencia] Eu mal consigo controlar qualquer um deles. ”*

Benjamin Martin

Benjamín Marticorena Castillo é físico formado pela Universidade Nacional de Engenharia e atual presidente da Concytec.  (Foto: PUCP)
Benjamín Marticorena Castillo é físico formado pela Universidade Nacional de Engenharia e atual presidente da Concytec. (Foto: PUCP)

Criar um ministério tem duas desvantagens muito sérias: por um lado, os países que criaram um ministério o fizeram quando a pesquisa já havia crescido muito, quando o investimento do Estado em pesquisa já era grande e Isso não acontece no Peru; Portanto, o ministério administrará o que quase não existe, e será um órgão muito mais burocrático do que convém. A verdade no país é que há pesquisa de alta qualidade, mas é um grupo pequeno porque o Estado e a sociedade não estão prestando atenção a ela. Estamos perdendo apenas para a última em termos de investimentos na América Latina.

Procure colocar as coisas no nível de decisão [con el nuevo sistema nacional de CTI] É também uniformizar a gestão dos recursos, para que os vinte e seis fundos existentes, quatro ou cinco dos quais muito importantes, sejam geridos de forma unificada, e não como agora, onde todos investem no que entendem. Esse uso ineficiente de recursos também faz parte dos motivos desta lei.

A outra razão pela qual um ministério não parece relevante no momento é que em um país, em uma sociedade, onde não se sabe muito sobre a importância da ciência, o que acontecerá é que se um ministério for criado, todos os outros ministérios dirá, quando se trata do CTI: “Isso vai para o Ministério”, quando na verdade é uma questão que todos estão fazendo e que existe um órgão que dirige essa tarefa. Se deixarmos um ministério para cuidar de tudo, ele não apenas se tornará burocrático, mas terá um escopo pequeno. Refere-se a todas as atividades produtivas e serviços públicos que são desenvolvidos por todos os setores. É isso que a diretoria deve gerar.

* Retirado de A. entrevistar Apresentado pelo autor a Benjamín Marticorena em conexão com o novo sistema STI.

Vídeo recomendado

Elmer Huerta explica o futuro da epidemia
Ele garante que continuará até 2022.

Você pode estar interessado:

Siga-nos no Twitter:

READ  Para obter informações, é possível