Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Meloni-Musk, o fator M está no ar.  Os antecedentes do acordo “estratégico” – na Tempo

Meloni-Musk, o fator M está no ar. Os antecedentes do acordo “estratégico” – na Tempo

Luigi Bisignani

Caro Diretor, Uma questão de percepção. Um acordo estratégico entre Georgia Meloni e Elon Musk desmoronou. E não é por acaso que até Sergio Mattarella, com a sua exclamação curinal, denunciou o perigo da tirania digital sob os golpes da inteligência artificial.

É verdade que Musk ainda não investiu na Bell Pies, mas graças à sua admiração pelo primeiro-ministro, deu a Giambruno uma semelhança “like” com o “caso”, que agora quer entrar no jogo das telecomunicações. Seu Starlink, 'Internet via satélite. Georgia, por sua vez, responde com alguns pequenos esboços deliciosos. Na verdade, o presidente da SpaceX e da Tesla, ao regressar aos Estados Unidos, contou uma história engraçada aos seus colaboradores: “Em Roma, debaixo de uma tenda transparente com vista para o Castelo Sant'Angelo – era sufocante – eu estava em jejum, então perguntei se eu pudesse comer alguma coisa. Geórgia, já era tarde, a discussão Ele me empurrou para dentro da sala dizendo que não poderia atrasar.

Idiotas esquerdistas não estão felizes com o sucesso do evento

“Tem alguém que te esclarece”, comentou um de seus colaboradores. Mas como pode Elon, o líder supremo do X, odiado pela elite esquerdista e pela geração do despertar, ser útil à Geórgia hoje e vice-versa? Há um tema que não foi explorado em profundidade, mas é importante continuar a caminhada política do líder dos Irmãos da Itália e lançá-lo no espaço digital. Na Adreju, aliás, ela não se limita a falar da natalidade e da crise populacional. Key Topos X, o antigo Twitter, rede social muito utilizada por jornalistas e políticos há 17 anos, foi descrito por Musk como “nas mãos da esquerda radical” em novembro passado. Agora a estrutura do algoritmo mudou, mas dados e metadados valiosos do usuário permanecem. Devido à introdução de AI Grok, os moderados desapareceram e X agora se inclina para formas de centro-direita. Portanto, na estratégia Meloniana, X pode apoiar a FdI de forma digital e totalmente legal nas próximas eleições. O primeiro teste foi a introdução da indicação republicana de Ron DeSantis nas primárias presidenciais dos EUA, que aconteceram ao vivo no Twitter ao lado de Musk. Acabou sendo um fiasco, mas na verdade foi apenas um experimento, feito antes do lançamento do Croc.

READ  Meloni reinicia, recursos Pnrr para agricultores aumentam para 8 bilhões - Notícias

UE investiga X de Elon Musk por gravações ilegais e desinformação

Vídeo sobre este tópico

Notícias da MT

O Padre Paolo Benanti sentiu que Musk estava a preparar as redes sociais como uma arma de precisão para a política, como já tinha deixado claro no programa “Goddess” de Roy Uno. O perigo desta nova fronteira é que a inteligência artificial nos permite criar campanhas de desinformação em grande escala, não apenas através da anotação de milhares de milhões de dados, comentários, fotos e vídeos, como já foi feito antes, mas também através da criação de jornais. Artigos, tweets, memes e fotos não são criados por humanos, mas diretamente por esta máquina inteligente, cada vez mais bem lubrificada, que pode até chegar ao ponto de criar debates falsos, para total descontentamento dos governos ou partidos visados. A audiência de potenciais eleitores é enorme, os seus gostos, fraquezas e preferências são conhecidos: já é um activo garantido de 44 mil milhões de dólares.

Os usuários que conseguem entregar a mensagem “alvo” no tempo e com a precisão de um atirador podem orientar suas escolhas. Assim, cada candidato político hoje pode ser alvo de ataque ou fortalecido, conforme o caso, através da disseminação de falsidades profundas. A Microsoft, a Google, a televisão e os governos estão a apressar-se para desenvolver padrões e marcas de água (marcas de água digitais físicas semelhantes às encontradas nas notas) para identificar conteúdos gerados por IA. Numa reunião privada no seu quarto em Roma, Musk sublinhou que “hoje é difícil dizer coisas inteligentes sobre IA, porque enquanto falamos, tudo está a evoluir”. Ele está certo. Tudo mostra que temos que esquecer como a democracia evoluiu até hoje, neste caso Mark Zuckerberg, outro gigante da Internet com viés esquerdista, está tentando manter Musk sob controle com uma nova rede social. Com mais energia, a oportunidade de somar o poder de fogo do Facebook, Instagram e WhatsApp – deve refletir sobre nós. E parafraseando o ator Humphrey Bogart: “Não é democracia, beleza”, mas “é inteligência artificial”.

READ  Os olhos de Sanchez voltam para Roma, PSG: O português também muda sua foto de perfil

Mas neste embate entre titãs da tecnologia, como é que Meloni beneficia Musk? É claro que com a vigilância, com o poder conquistado, a Comissão Europeia se move para evitar o que aconteceu nos últimos anos, quando a Internet ficou sem regras e depois um oeste selvagem para pistoleiros digitais. Mas que tipo de verificações esperar? Primeiro, aqueles que têm grandes investimentos em empresas que administram plataformas sociais: adoram o mesmo deus, o lucro e a ação devem ser tomadas. Nos próximos vinte anos, a geografia dos Estados, tal como a conhecemos hoje, será alterada pelas multinacionais das redes sociais, que, graças à criação da inteligência artificial, poderão substituir as antigas formas, porque, como afirma o filósofo israelita Yuval Harari diz que o progresso tecnológico (por exemplo, das impressoras à bomba atômica) é o resultado da inteligência humana. Ao mesmo tempo, a IA se torna filha do computador e pode, absurdamente, decidir matar sozinha. Visto que este processo não pode ser interrompido agora, pode o homem regular este processo? Na pior das hipóteses, a Geórgia poderia pelo menos dar uma boa palavra para nos levar a Marte.