Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Inundações na Líbia: um massacre em Derna e receios de 20.000 mortes.  UNICEF: 300 mil crianças afetadas – Europa

Inundações na Líbia: um massacre em Derna e receios de 20.000 mortes. UNICEF: 300 mil crianças afetadas – Europa

“Quase 300 mil crianças foram afetadas por terríveis inundações na Líbia.” Isto foi afirmado por Andrea Iacomini, porta-voz da UNICEF Itália. Entretanto, as Nações Unidas alertaram para o perigo de doenças causadas pela água poluída na cidade líbia de Derna, após as inundações que destruíram a cidade. Jens Laerke, porta-voz do Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários, disse ao programa Today da Rádio 4 da BBC: O sistema de poço de água estava contaminado. “As pessoas precisam de beber e, se começarem a beber água contaminada, poderemos assistir a uma onda secundária de doenças e até à morte se não conseguirmos impedir isso”, diz ele.

O número de mortos devido às inundações devastadoras no leste da Líbia aumentou para pelo menos 5.500 mortos e 7.000 feridos, segundo os serviços de emergência em Trípoli. O porta-voz Osama Ali disse que ainda não foi possível determinar o número final de vítimas, uma vez que os corpos ainda estavam a ser recuperados nas zonas afectadas. Segundo as últimas estimativas, o número de desaparecidos chega a cerca de 10 mil pessoas. Existem cerca de 30 mil pessoas deslocadas.

É uma carnificina sem fim na devastada cidade costeira de Derna, na Líbia, onde poderá haver até 20 mil mortes. A tempestade Daniel, que atingiu a costa norte da Líbia na noite de sábado. Em comparação com as 10.000 vítimas anunciadas pelas agências humanitárias oficiais, como o Crescente Vermelho Líbio, a nova e dramática estimativa de 20.000 mortes vem do diretor do Centro Médico Al Bayda, Abdel Rahim Madi, citado pelo The Guardian, enquanto a ajuda internacional está apenas a começar. e falta pouco para chegar. Ao local, o número de mortes confirmadas até agora devido às inundações de Derna atingiu 3.800, anunciaram as autoridades locais.

READ  Geórgia: Saakashvili no tribunal, "torturado sob custódia" - na última hora

O mar continua a trazer de volta os corpos das vítimas às ruas, mas levará algum tempo para confirmar a contagem oficial. A devastação é pior do que se temia inicialmente. “O mar lança constantemente dezenas de corpos”, disse Hisham Abu Shekiwat, ministro da Aviação Civil da administração que governa o leste da Líbia, segundo o jornal britânico, acrescentando que a reconstrução custaria milhares de milhões de dólares. Entretanto, segundo a Organização Internacional para as Migrações, pelo menos 30 mil pessoas foram deslocadas em Derna.

Ajuda da Itália

A Itália mobilizou os seus esforços para ajudar a Líbia. Duas aeronaves C130 J da Força Aérea partiram do Aeroporto Militar de Pisa em três voos que abrigarão o transporte de bombeiros Em particular, especialistas em risco hídrico com equipamento de apoio relevante e materiais logísticos básicos. O navio da Marinha San Giorgio também partiu e chegará à zona de Derna nas próximas 24 horas para garantir tarefas logísticas, de comando e controlo, bem como apoio médico, para o planeado destacamento nacional de apoio à população das zonas inundadas. Regiões . Além disso, está também a ser avaliada a utilização do navio San Marco, caso as condições no terreno assim o exijam. O ministro da Defesa, Guido Crosetto, que já dirigiu o Estado-Maior da Defesa e o COFI (Comando Operacional das Forças Conjuntas), afirmou que “a Defesa e as Forças Armadas darão o seu máximo apoio para ajudar o povo líbio, afetado pelas inundações devastadoras”. Cimeira das Forças Armadas Italianas) para fornecer imediatamente toda a assistência possível das Forças Armadas Italianas à Líbia e ao seu povo. “San Marco” pode transportar o resto do pessoal da protecção civil, a Cruz Vermelha Italiana e todos os materiais de apoio à defesa necessários. Essas aeronaves também incluem dois helicópteros para possíveis atividades de busca e recuperação. Mais um voo com 36 unidades está previsto para partir amanhã

Reprodução © Direitos Autorais ANSA