Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Esperamos que os portugueses não saiam da Suíça.”

“Esperamos que os portugueses não saiam da Suíça.”

A Presidente da União, Doris Leuthard, e o Chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, em Lisboa, 28 de novembro de 2017.

Pedra angular

A comunidade portuguesa, com aproximadamente 270.000 membros, é uma das maiores comunidades estrangeiras na Suíça. Uma presença forte que alegra a Presidente da Confederação, Doris Lyotard. Durante uma visita a Lisboa, o ministro suíço elogiou a recuperação económica de Portugal e fez questão de garantir aos portugueses que “serão sempre bem-vindos no nosso país”.

swissinfo.ch encontrou-se com Doris Leuthard no início desta semana em Portugal, onde o presidente da UE não faz uma visita oficial desde 2003.

swissinfo.ch: Em outubro passado, o Chefe de Estado português foi à Suíça em visita oficial, e agora você está aqui em Lisboa. Quais são suas impressões?

Doris Leuthard: Portugal é há muito considerado uma fonte de preocupação na União Europeia, por razões que incluem o fraco crescimento económico, elevadas taxas de desemprego e um nível persistentemente elevado de dívida pública. Mas nos últimos dois anos, sentimos um espírito diferente. O crescimento económico é excepcionalmente elevado e o país está a fazer muitas coisas positivas para o futuro. Como resultado, o desemprego está a diminuir e a situação da dívida pública está a melhorar. Estamos realmente impressionados e só podemos parabenizá-lo.

swissinfo.ch: No seu discurso na residência do Presidente português, o senhor mencionou a possibilidade de cooperação entre os dois países no domínio das energias renováveis ​​e da ciência.

DL: Já colaboramos em diversos setores. Na área científica, o foco está na pesquisa do câncer. Estamos à procura de uma forma de reforçar esta cooperação e talvez organizar uma conferência para especialistas suíços e portugueses. No sector energético, a cooperação entre os dois países já foi estabelecida através de intercâmbios entre agências governamentais. No entanto, queremos expandi-lo. Os investimentos suíços em Portugal são muito fortes.

Outros desenvolvimentos

Outros desenvolvimentos

Doris Leuthard: “A Suíça é um país de direitos humanos”



Este conteúdo foi publicado em

02 de março de 2017

swissinfo.ch: Depois de 2010, este ano você assume pela segunda vez o cargo de presidente da federação. O mundo é melhor ou pior então? Doris Leuthar: Neste momento, tenho a impressão de que muitas coisas correram mal. Há mais conflitos no mundo e o número de pessoas que fogem nunca foi tão elevado. lá…

Mais Doris Leuthard: “A Suíça é um estado de direitos humanos”

swissinfo.ch: Cerca de 270 mil cidadãos portugueses vivem atualmente na Suíça. Como é vista esta comunidade e qual a importância do seu papel para a economia suíça?

L: Na verdade existe uma grande comunidade portuguesa na Suíça. Estão muito bem combinados e pouco visíveis, justamente porque a simbiose funciona perfeitamente. Isso também pode explicar o fato de compartilharmos os mesmos valores em muitos aspectos da vida.

Estamos satisfeitos com a contribuição económica desta comunidade. Os portugueses trabalham em diversos setores e ao mesmo tempo conseguem enviar dinheiro para as suas famílias ou comprar imóveis na Suíça. É uma relação muito simbiótica e positiva para ambos os países. É por isso que esperamos que os portugueses não saiam da Suíça, ou pelo menos nem todos planeiem regressar.

swissinfo.ch: Embora a Suíça tenha optado por uma implementação leve de sua iniciativa “anti-migração em massa”, abandonando limites e cotas, ainda há alguma preocupação entre os cidadãos da UE que trabalham ou querem trabalhar na Suíça. Como explica a posição suíça aos seus interlocutores portugueses?

L: Durante o almoço com o primeiro-ministro Antonio Costa, o senhor fez questão de ressaltar que 25% da população da Suíça possui passaporte estrangeiro. Esta é uma percentagem muito elevada. Em comparação, a percentagem de estrangeiros em Portugal é de apenas 10%. Isto significa que somos um país muito aberto e estou feliz com isso. No entanto, pode acontecer que a nossa economia não corra bem ou que alguns estrangeiros não se integrem de forma satisfatória, como é o caso dos portugueses. Neste caso, pode haver algum atrito. No entanto, penso que conseguimos encontrar uma boa solução. A nossa economia precisa de trabalhadores qualificados. Neste sentido devemos permanecer abertos. O governo suíço apoia estes esforços e acredito que o Parlamento Federal faz o mesmo através das medidas que adoptou. Nunca viraremos as costas a Portugal. Os portugueses serão sempre bem-vindos no nosso país.

Traduzido do português por Stefania Summermatter

READ  Calábria, a via super verde e a deriva de todos os habitantes locais 'sacrificados' no altar de Malapolitica