Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Covid Itália, Boletim de 1 de julho: Notificação de casos positivos, internações e recuperações

A curva epidêmica continua subindo na Itália. Houve 86.334 novos casos de Covid nas últimas 24 horas, contra 83.274 ontem, mas 55.829 na sexta-feira passada. Troca 316.040 (ontem 296.030) para baixo de 28,1 para 27,3%, nunca mais alto. Mortes 72 (59 ontem). O número total de pessoas infectadas desde o início da pandemia subiu para 168.425.
As internações hospitalares estão aumentando: mais 3 unidades de terapia intensiva (+13 ontem), elevando o total para 264 com 37 internações por dia. Mais 238 em hospitais gerais (+338 ontem) para um total de 6.592, o 17º dia consecutivo de crescimento. É o que decorre do comunicado diário do Ministério da Saúde.

Pregliasco: A máscara deve ser usada como óculos de sol

“Estamos em uma fase de transição, entre epidemia e tendência local, com ondas constantes de altos e baixos. Até agora, a percepção é que reconhecemos que algum foco, algo precisa ser feito, e temos teremos no futuro. Máscaras Nós os usamos como óculos de sol e os usamos quando necessário. Se houver reuniões, especialmente se estivermos fracos ou ajudando os fracos, se tivermos sintomas respiratórios, usamos máscara. Fabrizio PregliascoVirologista e diretor médico do Hospital Galeazzi em Milão, expressou sua opinião sobre a questão das máscaras.

Bombardeiros: A epidemia não acabou, é preciso mais respeito às regras

“Ouvimos muita cautela, entendemos o cansaço, mas acreditamos que há outro tema”, disse ele sobre as medidas de prevenção da Covid-19 no local de trabalho. correr O contágio não deve ser subestimado. “Ele disse assim Pierpaolo Bombardieri, à margem do XIII Congresso Uil Campania em Nápoles. “Ontem – observou o dirigente do Will – não aconteceu como queríamos, no sentido que teríamos gostado, sobretudo em locais de trabalho sem espaços, mais controlo, mais respeito pelas regras”. “Foi avaliado de forma diferente – concluiu Bombardieri – e continuamos a apelar a todos para serem cautelosos. Não podemos presumir que a epidemia acabou”.

READ  "Expulso da Liga dos Campeões é uma grande decepção"

As internações com outras comorbidades estão aumentando entre infectologistas, não vacinados e idosos

“Os departamentos de Covid estão reabastecendo e a tendência de novos casos continuará Policial Certamente haverá mais pressão sobre os hospitais. Ainda temos 6-7 milhões de italianos não vacinados. De fato, a maioria dos visitantes do hospital hoje não é vacinada, é idosa e tem outras doenças. Eles podem não ter pneumonia, mas têm febre e desidratação, e podem ser hospitalizados e receber alta se não houver complicações. Mas a infecção por Sars-CoV-2 e até mesmo esse calor podem desestabilizar pessoas com comorbidades. Precisamos ter mais cuidado. ” ele insiste Claudio MastroianniPresidente da Sociedade Italiana de Doenças Infecciosas e Tropicais (CMIT) e professor titular de doenças infecciosas da Universidade Sapienza de Roma, toma a situação.