Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Concurso de Mourinho?

Na conferência de apresentação como treinador da Roma, José Mourinho divulgou um comunicado que à primeira vista parecia apenas um olhar para Antonio Conte. Foi, mas ainda mais. “Vocês têm treinadores que nunca foram comparados na história dos clubes. Certo? Por exemplo, neste clube, se você falar do Lidomo ou do Fabio Capello, não compare com ninguém. Quando você falar do Inter, não compare ninguém comigo ou com Helenio Herrera. Mas leve isso para casa. Em palavras, Mourinho também tem a capacidade de se concentrar em uma situação. Lê um especial. O tempo todo. Ele também examinou os perfis dos conquistadores em Roma. Nils Lydom, apesar do humor rebuscado mas direto dos portugueses: as palavras que pronuncia devagar, que te deixam desiludido. E Fabio Capello, que está longe de ser um historiador. Não demorou muito para José perceber que precisava aprimorar algumas de suas habilidades.

Porque Roma é complicada. Este é o triunfo do cinismo. Ele tem a visão atenta mas pessimista de quem assistiu à história desde a primeira linha. Claro que ela gosta de bajular, mas se você tentar levá-la para um passeio, ela o pegará (como os romanos). Se Roma encontrar seu jogo e não valorizar mais você, acabou. Você apenas tem que ir. Por isso, Roma quer que quem a vive esteja a uma distância respeitável – Litom, afinal, é mais respeitado na capital, e Capello – é mais emocionante, exibicionista do que quem toca “Gazio”. Paramos aqui para não usar mais palavrões.

Na recepção já atribuída a um dos especiais, Roma escolheu o tom da declaração que pretendia. Um pequeno mural não invasivo: uma Vespa especial no coração de Testácio, o Templo de Roma, em frente à antiga sede do histórico Clube Roma. Feriados romanos. É uma exigência de estilo, sobriedade e elegância. É por isso que Mourinho não repetiu o script de costume. Este método é côncavo, não condensado. Em comparação com dez anos atrás, ele tem muitos cabelos brancos, conhece-os melhor e parece mais inteligente. Ele não tem mais A física do personagem Excitação. Isso não é patético, parece que o tempo passou.

O português é um espectador extraordinário, absorve tudo à sua volta. Leia diariamente sobre como enfrentar a cidade e seus fãs. Ele trabalha para criar o ambiente, oAmbiente Como dizem os espanhóis. Ele alugou sua casa em Barolioli e pela manhã podia ser visto tomando um café em um bar. Quando ele chegou, disse que teria sido bom se os jogadores já estivessem em campo quando ele jogou a “Roma Roma” de Antonello Wenditti nas Olimpíadas. E ele está certo. Porque o momento em que a música desaparece e o palco canta os últimos versos é sempre assustador. Nesse ponto, você sente que pode entrar em uma batalha. José, como um verdadeiro líder, entendeu isso.

Mourinho substitui o pau e a cenoura. Quando El Sharavi marca na final contra Sassuolo, ele corre para o sul, imediatamente se desculpando e se refugiando com o menino: “Esta é uma aposta de criança”. Ele encontrou ternura. Ou, na maioria das vezes, ele sabe que a ternura pode funcionar em Roma. Especialmente quando você ganha, ninguém espera isso de você. Ele venceu cinco jogos consecutivos e declarou: “Vencemos cinco, não cinquenta. Pessoas, fãs estão felizes. Mas acho que eles deveriam estar em equilíbrio assim como nós. Nunca se tornará Lydom, ele sabe disso. Mas ele foi inspirado por este novo papel. Pela primeira vez, ele deve ser mais bombeiro do que bombeiro.

Lançamento de 40 Onze