Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

2022 que será. Covid permite, Portugal lidera na recuperação e equidade na Europa

A tendência da epidemia afeta a recuperação social e econômica (embora a proporção de pessoas vacinadas esteja entre as mais altas da Europa, sua taxa de infecção é alta) e a crise política que começou em 1º de novembro. Os dois partidos de esquerda radical retiraram o apoio externo ao governo do primeiro-ministro socialista António Costa (que é considerado o líder político mais progressista da Europa), obrigando o chefe de Estado Marcelo Rebelo de Sousa a convocar novas eleições. No entanto, em cinco anos de governo, Costa reiniciou o motor econômico, elevando o salário mínimo e reduzindo o desemprego; A pandemia ganhou elogios internacionais por gerenciar o esquema de ajuda europeu. No dia 31 de janeiro, voltamos às urnas

Análise Carlo Giaccobi
Por fim, geograficamente, Portugal, por se localizar na parte mais ocidental dos países europeus, pode tornar-se líder entre os países do Velho Continente: os principais indicadores socioeconómicos de 2022 confirmam a tendência para uma fase de recuperação intensa, iniciada em a segunda parte do continente. O ano acabou de terminar. O que é para alguns menores entre os grandes países europeus e para outros maiores entre os países “pequenos”, deve ser aquele com maior crescimento proporcional para todos, 5,8%, enquanto 4,8%, quando disponíveis, devem ser confirmados pelos dados consolidados de 2021 .

Este indicador macroeconômico básico, que mostra uma sincronização intrínseca entre o governo minoritário devido à crise política que se abriu há dois meses e o Banco Central (BdP), estaria, portanto, em plena conformidade com as previsões mais favoráveis ​​formuladas pela Organização para a Cooperação Econômica e o desenvolvimento. nas últimas semanas. A Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI), como sempre, fazem uma leitura um pouco mais cautelosa. Segundo a comissão, o crescimento do PIB no país da Lusitânia deverá atingir os 5,3 por cento; Por seu lado, o CFP e o FMI registam um crescimento de 5,1 no ano que deixamos para trás.

READ  Arranjo de Pandora: qual é o melhor no supermercado

Explicando os últimos dados fornecidos pela instituição que dirige, o presidente do Banco Central, Mario Centeno, disse estar convencido de que no primeiro semestre de 2022 o PIB voltará aos níveis pré-Covid, e acrescentou que até 2024 o tamanho das economias ultrapassará Globalmente, o registado em 2019 aumentou 7%, valor em nada inferior ao estimado antes da pandemia. De acordo com as previsões feitas por Centeno, o crescimento econômico mundial está aumentando durante os anos 2022-23; O consumo privado, que aumentou 5 e 4,8 por cento respectivamente em 2021 e 2022, cairá para 1,8 por cento em 2024. Comparado com o biênio 2021-22, a taxa de desconto, que em 2020 atingiu 12,8 por cento, mostrará uma diminuição significativa, mas não é especificado nos detalhes de porcentagem. Para o consumo público, os dados consolidados de 2021 devem confirmar 4,8% e um crescimento mais moderado nos próximos dois anos.

Para o BCP, a economia portuguesa terá de enfrentar desafios críticos a curto e médio prazo. Estes incluem a implementação do Plano de Recuperação e Resiliência (Prr) que aproxima o país do resto da Europa também graças à implementação das reformas necessárias. Ainda com o objetivo de normalizar as origens sociais e económicas do mosaico europeu, Centeno disse estar convicto de que Portugal não perderá a oportunidade única de promover a recuperação global a longo prazo e numa futura e desejável fase de normalização. ..

Dois elementos críticos não podem deixar de influenciar a real conformidade com a realidade desses cálculos e expectativas. A primeira é a tendência epidêmica, que apesar da proporção de pessoas vacinadas, que é provavelmente a mais alta da Europa, mostra uma alta taxa de infecção, cerca do dobro da Itália em relação à população, embora na grande maioria dos casos, os pacientes que não não Os portadores de outras doenças graves têm formas virais bastante leves. O outro fator é a crise política que eclodiu em 1º de novembro, que não pode ser descrita como uma contradição. Os dois partidos de esquerda radical de apoio ao primeiro-ministro socialista António Costa, considerado o líder político mais progressista da Europa, retiraram o apoio externo ao governo ao não concordar com a lei do orçamento, obrigando o chefe de Estado Marcelo Rebelo de Sousa a convocar novos eleições, que terão lugar no próximo dia 31 de Janeiro. Costa, que conseguiu recuperar a economia durante seus cinco anos no cargo, aumentando o salário mínimo e reduzindo o desemprego, enfrentou a pandemia e ganhou aclamação pública internacional pela forma como administrou o esquema de ajuda europeu. Talvez por isso Costa tenha se limitado nos últimos dois meses a acompanhar a atualidade, quase evitando se expressar. Quem o conhece jura que nas urnas ele encontrará os números da fórmula vencedora de governo, equilibrando o investimento público com a rígida disciplina orçamentária. © Reprodução reservada
Documentação, revisão e redação exigem estudo e comprometimento
Se você gostou desta leitura, por favor, ajude-nos a ficar livres

READ  Como enganam você (e o que você realmente come) - Libero Quotidiano