Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Vírus Corona hoje. Clima e OMS: “Covid vai acabar, mas não há vacina contra a crise ambiental”

realismo

Notícias sobre o Coronavírus na terça-feira, 10 de agosto em tempo real

Corona Virus: Boletim de 9 de agosto de 2021
  • Zaia: As internações hospitalares estão aumentando lentamente, 70% não são vacinados

    “Não nego que estejamos um pouco preocupados com este lento mas inevitável aumento de hospitais, mas não estamos em situação de emergência”. O governador Luca disse isso em 10 de agosto ângulos Durante um ponto de imprensa no Palazzo Balbi. Acrescentou que o dado que deve nos fazer pensar é que 70% dos pacientes Doença do coronavírus Atualmente, não é vacinado nos hospitais do Veneto. Das 23 pessoas em tratamento intensivo, a idade média é de cerca de 50 anos. ”“ Os especialistas – continuou Zaya – argumentam que depois de meados de agosto deveríamos estar na metade do caminho. Posso dizer que o modelo de previsão de hoje mostra que, nas próximas semanas, quase todos os pacientes internados com o vírus serão pacientes não imunes. Esse é outro fato que atesta a importância da vacinação. Experimentalmente, pode-se dizer que a vacina reduz o efeito da doença e não leva à ressuscitação ”.

  • Especialistas da GB, vacinas ajudam, mas não há imunidade coletiva

    imunidade de rebanho de Doença do coronavírus No momento “isso não é uma possibilidade”, na Grã-Bretanha ou no mundo, devido a variantes do vírus Corona, como o delta, que continuam a espalhar a infecção até mesmo na parte das pessoas vacinadas. O professor Andrew enfatizou isso em 10 de agosto em uma audiência perante um comitê parlamentar PollardDiretor do Centro de Vacinas da Universidade Oxford Participou do desenvolvimento do medicamento, posteriormente produzido pela AstraZeneca, destacando que o antídoto atualmente disponível tem se mostrado eficaz em “desacelerar” a epidemia e conter seus efeitos perigosos (mortalidade e hospitalização), mas não pode representar um barreira completa contra novas mutações. Pollard então acrescentou que as variantes mais agressivas não deveriam ser descartadas e insistiu que o programa de vacinação não poderia ser visto como um caminho para a “lendária imunidade de rebanho”. Na mesma nota, Professor Paul Homem pescadorProfessor Davy, virologista da University of East Anglia Sridhar, Diretor do Departamento de Higiene e Saúde Pública da Universidade de Edimburgo, que afirmou que as vacinas “impactaram” a epidemia, mas ainda não “resolveram” o problema da doença, que atualmente se estima assumir apenas características sazonais. Hunter em particular provocou o futuro surgimento de novas variantes capazes de escapar da proteção oferecida pelas vacinas atuais, como “absolutamente inevitável”, considerando que uma parte da vacina ainda pode infectar os não vacinados, mesmo que não esteja gravemente infectada; Mesmo no Reino Unido, onde a cobertura média de vacinação de adultos no Ocidente está em níveis recorde, quase um terço da população ainda não recebeu uma única dose.

  • Portugal concede aprovação para gerir crianças dos 12 aos 15 anos

    Portugal concordou em dar uma vacina contra COVID-19 Para todas as crianças entre 12 e 15 anos. O anúncio da Diretoria Geral de Saúde veio após dias de incertezas sobre a medida. As autoridades inicialmente restringiram a faixa etária a crianças com doenças crônicas. Autoridades disseram que a hesitação se deve à falta de dados, mas o diretor-geral da Saúde, Graça Freitas, disse que estudos na União Europeia e nos Estados Unidos dissiparam as dúvidas.

READ  Di Freisa em Freisa: uma viagem pela comida, vinho, cultura e beleza