Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Projetos Sanam em Abruzzo sob supervisão da ciência

Recebemos e publicamos de Comitês Cidadãos de Meio Ambiente – Não há coordenação no eixo gásO Bispo de Sulmona também participou na conferência científica realizada ontem na Universidade de Chieti – Pescara sobre o Oleoduto Adriático e Central Sanam em Sulmona. Dom Michael Fusco, em seu discurso na videoconferência, afirmou que compartilha das preocupações sobre a construção de infra-estruturas em Sanam e informou que todos os fiéis da diocese estão acompanhando o conflito com igual interesse e que o território deve sê-lo. Foi defendido e fortalecido devido à sua missão natural do ponto de vista agrícola e turístico. Sublinhando a importância da iniciativa, o bispo sugeriu também a publicação das actas da conferência, a fim de sensibilizar não só os cidadãos, mas sobretudo a política necessária para tomar as suas decisões a este respeito. Moderada por Luciano Di Tizio, a conferência teve um rodízio na mesa de professores universitários e especialistas: Stefano Civitares, Pietro Di Paolo, Melania d Angelosanti, Francesco Oconi, Paolo Succio, Piero Ruffigatti, Piero Di Carlo, Rosanna Totteri e Aurelio Manzi.

Todos os aspectos mais controversos do antigo problema foram tratados em grande detalhe: dos aspectos jurídicos aos energéticos e econômicos, dos perigos sísmicos aos problemas paisagísticos e ambientais aos do urso marrom marciano, o tema da hora é a mudança climática para a recente descoberta arqueológica no sítio de Sulmona onde deverá ser construída a central. Todos os palestrantes enfatizaram que se trata de um projeto antigo, praticamente desenhado há quase 20 anos, e hoje completamente obsoleto à luz do conhecimento científico entretanto ocorrido e das notáveis ​​inovações em energia e mudanças climáticas; Inovações que exigem o abandono imediato das fontes de energia fóssil, incluindo gás, se quisermos atingir a meta do Acordo de Paris de atingir a neutralidade climática até 2050. Em particular, foi destacado até que ponto o governo parece ainda não ser válido, que é Uma Avaliação de Impacto Ambiental que remonta a mais de 10 anos, a situação hoje mudou profundamente nos níveis italiano e internacional.

READ  Senegal está de volta / "Fósforo", Festival de Ciências

A ausência de políticos foi notada. Embora todos os parlamentares eleitos de Abruzzo, o Conselho Regional e todos os membros dos Conselhos Regionais tenham sido convidados, nenhum deles participou do Congresso. Os relatos foram seguidos de intervenções, nomeadamente de Manuela Cosi, Vereadora Municipal de Sulmona, Mario Pizzola das Comissões Cidadãs do Ambiente de Sulmona, Aldo Coccianarini da Comissão Interregional do No Topo e Angelo Gagliani da comissão do no Tap – sem corcunda de Brindisi. As descobertas foram elaboradas por Mario Viola, um ecologista histórico, que relatou quantas vezes os atores institucionais e políticos estiveram muito distantes da luta que os cidadãos de baixo tinham para defender suas terras. Ressalta-se ainda esse distanciamento, o fato de o governo ainda não ter respondido à carta enviada por 12 associações ambientalistas no final de maio solicitando que o processo de licenciamento de uma obra que se torna cada vez mais aparente seja inútil e prejudicial. Os resultados da conferência serão enviados ao governo (também transmitidos pelo seu tubo) e o pedido de reunião será renovado pelas associações para tratar de todo o assunto em detalhe ”.

Impressão fácil, PDF e e-mail