Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Portugal pagou 20 milhões de euros para combater as espécies invasoras

Escrito por TPN / Lusa, Renováveis, Saúde e Ambiente · 22-03-2021 19:47:00 0 Comentários

Portugal forneceu மா 20 milhões nos últimos três anos para controlar e erradicar as espécies invasivas aquáticas e terrestres do país, afirmou o Secretário de Estado das Florestas a 18 de março em Montmore-O-Velho, distrito de Godfrey.

Espécies invasoras são “prejudiciais à biodiversidade, onde quer que entrem podem se tornar dominantes e prejudicar outros organismos nesses ecossistemas”, disse João Paulo Catarino, projeto CIM regional ao final de uma sessão de apresentação sobre o manejo de plantas aquáticas invasoras em Coimbatore.

Inicialmente, o governador destacou que as plantas invasoras são “fáceis de controlar” e destacou que “as restaurações não são feitas de um ano para o outro e já duram quase uma década”, por isso “é muito importante atacar cedo este problema e fazê-lo com competência técnica “.

“Temos dificuldade em erradicá-los depois de alguns anos, só que é preciso investir”, disse o secretário de Estado da Conservação da Natureza, Florestas e Ordenamento do Território.

Para atenuar este problema, que afecta cada vez mais o Norte e Centro de Portugal, estão em curso alguns concursos, “alguns estão a ser implementados, outros em análise, nomeadamente para o controlo e erradicação de espécies invasoras aquáticas e terrestres com valor superior a 20 milhões de euros , “Insistiu Jono Paulo Caderino.

A gestão de plantas aquáticas invasoras no Coimbatore CIM abrange os concelhos de Mira, Figueroa da Foss, Montimore-o-Velho, Surrey e Cantonhead, e foi premiada no dia 18 de março no Centro de Alta Performance de Montmore-O-Velho.

O orçamento de US $ 600.000, com 85 por cento de financiamento do Plano de Ação para Sustentabilidade e Eficiência de Recursos (POSUR), visa controlar e prevenir espécies invasoras nesses municípios, por exemplo, “aguapés”, bem como “ecossistemas aquáticos e áridos prósperos . “

READ  Ronaldo agora fala "Juventus". Um caso ou uma pista?

Isso inclui a aquisição de um veículo multifuncional para diabetes no valor de நீ 300.000 com o objetivo de controlar organismos invasores em ambientes aquáticos e terrestres, perto de linhas de água e lagos, cujo uso foi regulamentado em 18 de março entre a CIM Regional de Coimbatore e cinco municípios.

A sua aquisição visa “melhorar a região e estes cinco concelhos com meios e recursos ao longo de todo o ano para uma intervenção contínua nas zonas mais afectadas por este problema”, disse José Carlos Alexandrino, presidente da CIM RC.

Em 2020, foram tomadas medidas para aumentar a comunicação e sensibilização, formar operadores, fazer intervenções preliminares, estabelecer barreiras flutuantes, como no caso de Montego-O-Velho, para salvar o lírio d’água amarelo, e intervenções utilizando o primeiro veículo para diabetes.

O projeto contempla as intervenções Lago da Vela (Ficura da Fos), Rio Montego, Barinha de Mira, Lago da Salcuvera (Condonhead) e Paul da Matris (Serre Ray).

O projecto conta com a colaboração da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), do Instituto Alqua de Desenvolvimento e Infra-estruturas (EDIA) e da Escola Superior de Agricultura de Coimbatore (ESAC).