Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Música das Novas Humanidades – Crônica

Franco Museda Às vezes os fatos se unem contra a nossa vontade, como na terça-feira passada. Depois de cruzar os 11 portões formidáveis ​​que separam a entrada da prisão de San Vittore dos espaços educacionais do quarto andar, o do navio, o raio dos “drogados”, depois de mais de dois anos, percebi que 35 anos já haviam se passado. .coisas que você não acreditaria. “Sr. Museda não se preocupe, vamos deixá-lo sair daqui”, disse-me Katrina Zorlo, a vice-diretora na época, e me viu com uma dor excruciante e branco no rosto. Já faz muito tempo e, no entanto, as necessidades dos hóspedes nos últimos 35 anos permaneceram as mesmas. Apenas a população carcerária é diferente. Antigamente se falava todo tipo de dialeto italiano, hoje basta olhar para as feições dos internos para entender que naquele tempo agonizante, dentro daquelas paredes, onde o silêncio é vendido durante o dia por seu peso de ouro. Todos os grupos étnicos vivem no mundo. Você não precisa ouvi-los falar, basta olhá-los nos olhos. Afinal, porém, Amal, Pedro, Aziz, Eduardo, Frederick, Giuseppe e os outros, diante da substância, diante da música em sua linguagem universal, todos falam a mesma língua. A linguagem comum de intenções puramente emocionais. Nós, junto com a Matilda e o grupo de treinadores, deixamos que eles vivenciem através da magia da música, e os ajudamos a perceber o milagre de sua estrutura emocional, graças à música sem se machucar. Vamos tentar mostrar a cada um deles seu mapa interno, essa dimensão longe dos olhos que eles esconderam por anos pedindo ajuda dos materiais. A linguagem da cocaína, a droga que faz você se sentir bem intelectualmente, a linguagem da melodia, que faz você se sentir inteligente e energizado como o CEO da NASA, mesmo que você não saiba qual é a raiz…

READ  Astrosamantha Chamando a Terra: Programa