Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Mais provável de causar adenovírus hepatite F41 – Saúde

“A União Europeia está acompanhando de perto a situação, que é preocupante” e os países “devem compartilhar todas as informações possíveis”. Foi assim que a Comissária Europeia da Saúde Stella Kyriakides comentou os casos de hepatite de origem desconhecida registrados na Europa. “A partir de 25 de abril, havia quase 40 casos nos estados membros – continuou o comissário – até agora foram registrados casos entre crianças com idade entre um mês e dezesseis anos, a possível origem é viral, mas precisamos de mais informações, vamos O ecdc publica sua primeira avaliação amanhã. Convide os países a compartilhar todas as informações possíveis

Agência de língua inglesa, ADENOVIRUS F41 A razão mais provável
“O adenovírus é o patógeno mais comum detectado em 75% dos casos confirmados de ‘hepatite aguda infantil na Grã-Bretanha e, em particular, a cepa de adenovírus chamada F41 parece ser a causa mais provável'”. Health Safety Authority (UKHSA) em um relatório, que mantém a hipótese de que esse vírus pode ser a origem de uma hepatite rara de origem desconhecida que ocorreu em vários países, incluindo a Itália. Ele leva mais facilmente à hepatite. No relatório da agência, atualizado até 25 de abril e divulgado pela mídia britânica, foi enfatizado que a maioria das crianças que contraem adenovírus não desenvolve sintomas particularmente graves. Mira Chand, diretora de infecções clínicas e emergentes em Ukhsa, disse: aumento no início súbito de hepatite em crianças está associado à infecção por adenovírus.” “No entanto, estamos investigando minuciosamente outras causas potenciais.” A esperança é que as medidas de precaução impostas na pandemia possam ter resultado em crianças pequenas expostas ao adenovírus pela primeira vez mais tarde na vida do que normalmente ocorreria, resultando em uma resposta imune mais robusta, em alguns casos. , contra adenovírus. Outras hipóteses ainda estão sendo estudadas, incluindo o fato de que uma infecção recente por Covid pode ser uma causa de problemas no fígado junto com o adenovírus. A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido foi a primeira, em 6 de abril, a soar o alarme, relatando os primeiros 60 casos suspeitos. Foi imediatamente alertado pelos Centros Europeus de Controle e Prevenção de Doenças (ECDC) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Caso foi registrado no Japão
A misteriosa doença hepática, que infectou crianças em uma dúzia de países ao redor do mundo, também chegou à Ásia, onde as autoridades locais relataram um caso no Japão em 21 de abril. Segundo o The Guardian, o paciente testou negativo para adenovírus – uma possível causa de hepatite aguda, que está sendo investigada em todo o mundo – e Covid-19. Até o momento, foram relatados 190 casos ambíguos de hepatite aguda em crianças, incluindo 140 na Europa, principalmente no Reino Unido (110 casos). Casos adicionais foram encontrados em Israel e nos Estados Unidos. A agência de saúde da ONU disse que os casos foram relatados em crianças com idades entre um mês e 16 anos. Uma teoria que está sendo estudada pela Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido é que a exposição reduzida ao adenovírus comum – que geralmente causa dores de estômago e resfriados – durante a pandemia de coronavírus levou a doenças mais graves entre as crianças. As autoridades do Reino Unido negaram uma possível ligação entre os casos e a vacina Covid-19 porque nenhuma das crianças com hepatite recebeu a vacina.

Reprodução reservada © Copyright ANSA