Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

“Eu não quero fazer isso.” No dia do ataque ao Capitólio … um grande pensamento agora – Libero Quotidiano

furo sexy de CNN. Devemos voltar ao último dia 6 de janeiro, dia do ataque de partidários ao Congresso Donald Trump e os melhores desempenhos, tudo dentro de alguns dias após assumir o cargo Joe Biden, que venceu a eleição contra o empresário, o presidente cessante. Como se sabe, Trump ameaçou uma batalha judicial contra Biden, insistindo na suposta fraude.

Mas dizia-se: o dia do ataque ao Congresso, o dia em que o mundo, apesar de tudo, conheceu – entre outras coisas – o “xamã”, Jake Angeli. Bem, de acordo com o que agora foi relançado pela CNN, Melania Trump se recusou a lançar um apelo pela paz e não violência durante os distúrbios no Capitólio.

De acordo com a CNN, a ex-assessora da primeira-dama e esposa de Trump lhe enviaram uma mensagem de texto na qual ela perguntava, em palavras precisas: “Você quer tweetar que protestos pacíficos são um direito de todo americano, mas não ‘há um lugar para ilegalidade e violência? ‘”. A resposta de Melania foi seca e calma: “Não”.. Em suma, não há espaço para ambiguidades. Essa indiscrição que, se confirmada, pode custar muito dinheiro e problemas a Melania.

Quero dizer, ele poderia ter tentado impedir o ataque ao Capitólio, mas não o fez. As fontes citadas CNN, em particular, eles explicam quem é o assistente em questão Stephanie Grisham. E novamente, a CNN noticiou em janeiro que Melania Trump estava na Casa Branca durante o levante e assistia a uma sessão de fotos em um tapete. A rede explicou que em nenhum momento do dia 6 de janeiro a primeira-dama pensou em rescindir esse compromisso. E agora constata-se que, além de não rescindir o compromisso, teria rejeitado publicamente o recurso.

READ  Afeganistão, como será o novo governo do Taleban