Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Coronavírus, Conselho de Estado suspende regra do alcatrão no atendimento domiciliar

O recém-eleito Presidente do Conselho de Estado, Franco Fratini, enfiou a frase nele Alcatrão do Lácio Revogada a circular sobre tratamentos domiciliares para Covid emitida pelo Ministério da Saúde em 26 de abril de 2021: no último documento, os profissionais de saúde eram obrigados a apresentar “espera vigilante” Nos primeiros dias do início da doença e também se deram Indicações para não usar Para todos farmacêutico Geralmente usado por clínicos gerais para pacientes com COVID. Circular que, aliás, era anteriormente cancelado Por Lazio TAR, com os seguintes motivos: “Não obstante a validade legal destas prescrições, é dever primordial de todo profissional de saúde agir com ciência e consciência, assumindo que responsável Sobre o resultado do tratamento prescrito como resultado do profissionalismo e qualificações especializadas adquiridas. Prescrição da Agência Italiana de Medicamentos Aifa como emprestada de Ministério da SaúdePortanto, contrasta com o profissionalismo exigido do médico e com o seu próprio profissionalismo Éticas profissionaise impôs, com efeito, impedir a utilização de tratamentos que este último considere adequados e eficazes na comparação da doença de Covid-19 tal como acontece para qualquer atividade terapêutica”. médicos opções de tratamento precisas e obrigatórias. Ao contrário da atividade profissional Conforme exigido pelo médico pela ciência e pela ética profissional.”

agora mesmo , Conselho do Estado Força outra mudança no caminho E Restaura O que está escrito nele Documento ministerial, que “geralmente contêm frases textuais, “Recomendações” e não “receitas” Ou seja, refere-se a comportamentos que, segundo a vasta literatura científica, parecem representar as melhores práticas, mesmo aceitando a constante evolução em curso.”Não mostre Que manguito Sobre o exercício do direito e dever do médico de escolher o melhor tratamento em ciência e consciência, onde os dados contidos na publicação, se houver, são padrões de referência em relação às experiências atuais em métodos terapêuticos em nível internacional”. está escrito no boletim do Ministério é um conjunto de conselhos dirigidos aos trabalhadores da Saúde sem obrigações.Próximo 3 de fevereiro A sala do conselho foi criada para discussão em grupo. O decreto de Frattini é de fato monocromático.

READ  Dario di Tovoli na Fabrica della Senza em Jesolo para o Dia da Aritmética Mental

Logo após a decisão do Lazio TAR, Filippo Agnelli, presidente da Fnomceo, a federação nacional de ordens para cirurgiões e dentistas, disse que “Em essência, nada muda.”. A circular emitida pelo Ministério da Saúde dizia: “Nasci em um momento muito delicado Não recebemos nenhum tratamento. Hoje temos um novo anticorpo monoclonal e antiviral para uso nos estágios iniciais da doença. Só então você pode lidar com as complicações. Do Ministério? – Explicaram os anéis. Foram apenas indícios. Até então, os médicos eram livres para prescrever medicamentos com base nos sintomas. O médico sempre determina com base no paciente individual.” Ele explicou: “Os medicamentos antivirais estão disponíveis agora, mas estamos perdidos na burocracia. A prescrição deve ser feita pelo especialista que recebe o relatório do médico de família; O medicamento deve então ser coletado em farmácias hospitalares ou outras instalações. Teríamos preferido que estivesse disponível nas áreas para os médicos da área usarem.”