Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Verdade ou lenda? Mais claro do que a contradição real – The Taxpayer’s Journal

Da certeza absoluta à relatividade: acabou a verdade? Mas enfatizar o fim da verdade não é uma forma de afirmar um fato sobre a verdade?

por Antonio Notarpetro

Quanto mais tenta se apresentar como a única forma de resolver os graves problemas da “certeza objetiva”, mais expõe sua instabilidade, incerteza e, às vezes, arbitrariedade: é ciência, essa forma de conhecimento é tradicional. Ele acredita que eles contêm uma garantia absoluta de sua validade, mas na verdade eles provam hoje que são incertos e objetivos.

Desta constatação nasceu o encontro, organizado pelo “Lions Clube Trani Ordinamenta Maris” e pela “Sociedade da Cruz Branca”, realizado em Trani na noite passada: “Ciência: fato ou mito?” , trata-se de um discurso que se soma à pergunta que se tem tentado responder pelas intervenções da professora Marcella Renes, bióloga e professora da Universidade de Catânia, e do professor Gianni de Iulis, professor de história e filosofia do ensino médio.

Após algumas considerações sobre o valor histórico-filosófico do mito e da verdade – o primeiro uma notável narrativa oral ou escrita com um valor simbólico, e o segundo a validade e eficácia da ação cognitiva – foi mostrado que ambos os termos em estudo são diferentes desvios conceituais que não podem ser reduzidos a uma única fórmula.

No entanto, verifica-se que hoje prevalecem dois conceitos em relação à verdade:
– o forte, que torna a verdade, uma necessidade absoluta, corresponde à estrutura do ser e pode ser expresso pela famosa expressão parmeniana “ser e não pode ser”;
– os fracos, os mais afirmados até agora, para os quais a verdade, dispersando-se em entidades qualificadas e historicamente limitadas, pode não só ser singular e indiscutível, mas ela própria questionável na sua concepção.

Daí a provocação do professor de Ulis: Acabou a verdade? Mas enfatizar o fim da verdade não é uma forma de afirmar um fato sobre a verdade?

Assim, após recuperar a questão inicial e levar em conta os desdobramentos da conferência, foi possível afirmar que a ciência não trata da verdade, mas a consideração desta não é certa e objetiva, mas não inteiramente correta. Esse é um fato que leva à indagação, ao crescimento, à crítica e à liberdade, que estimulam o progresso e o desenvolvimento, com seu próprio conjunto de dúvidas.
Ao mesmo tempo, o mito agora pode coexistir com a ciência, se antes era relegado a uma dimensão intelectual minoritária e desvalorizado como pré-científico, e se forma como totalmente confiável, uma vez que visa preservar as estruturas de sustentação da tradição.

A noite termina com uma anedota: Em um trem na Irlanda, três homens olham pela janela e vêem uma cabra vermelha. O primeiro afirma que “todas as cabras na Irlanda são vermelhas”, o segundo diz “na Irlanda algumas cabras são vermelhas”, e o terceiro afirma que “na Irlanda vi cabras vermelhas”.

READ  Una fé e ciência contra as mudanças climáticas