Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Coldiretti Puglia, outras 34 oliveiras atingidas pelo segundo relógio

Com 11 novos relatórios de segundo teste de monitoramento, a presença de Xylella fastidiosa foi confirmada em 34 outras oliveiras, com contagem final de plantas afetadas em 2021 com mais de 3.000 oliveiras doentes observadas. Isso é confirmado por Coldiretti Puglia, com base na atualização de Infoxylella, com oliveiras afetadas na zona tampão, das quais 22 estão em Monopoli e 5 em Polignano, mais 7 no interior de Fasano somadas aos 13 primeiros monitoramentos, quando o A zona de contenção anterior não era mais monitorada desde 2022.

Oliveiras infectadas de Monopoli e Polignano, exceto pela possibilidade de não observar mega-negativos, espera-se que todas as plantas expostas a bactérias em um raio de 50 m sejam mortas, uma medida não relacionada às plantas afetadas por um surto de Fasano porque não estava previsto na zona de contenção.

As oliveiras infectadas permanecem como focos ativos, que são fontes de pólen para cuspir, o inseto vetor, cúmplice da disseminação da Xylella. A Puglia já pagou o preço pela devastação que ocorreu, por exemplo, em Aurea e Francavilla, onde – acrescenta Coldiretti Puglia – para não cortar 47 oliveiras doentes, enquanto proibia plantas erradicadas por apelos ao TAR, 3.100 árvores morreram de as bactérias mortais e permitiu que o vetor continuasse infectando milhares de amostras, incluindo amostras enormes.

Nas áreas rurais de Fasano, Ostuni, Carovigno e Monopoli – lembra Coldiretti Puglia – existem 250 mil oliveiras, espécimes de valor extraordinário que podem ostentar a prestigiosa declaração de “Patrimônio da UNESCO” da arqueológica Piana degli Ulivi.

A Xylella chegou à Itália trazida por plantas tropicais da América Latina, infectou até agora mais de 8 mil quilômetros quadrados com mais de 21 milhões de oliveiras afetadas – insiste Coldiretti Puglia – muitas delas são enormes, plantas oleaginosas vendidas em pedaços na Grécia, Marrocos e Tunísia e a perda de 5 mil postos de trabalho na cadeia de abastecimento de azeite virgem extra. A bactéria desenvolve-se a um ritmo de dois quilómetros por mês e, tendo destruído as oliveiras do Salento, ameaça agora a maior parte do território da União Europeia onde foram identificados outros casos da doença, da França à Espanha e da Alemanha para Portugal.

READ  Vírus Corona hoje. Biden: Vamos doar 25 milhões de doses da vacina

A necessidade urgente é salvar a Piana degli Ulivi Monumentali de novas infecções que já perderam um terço das oliveiras inestimáveis ​​- livrar do puglia coldiretti preservado pelo tempo e impedir a propagação da Xylella fastidiosa na Puglia – a cepa Bauca, a Puglia estirpe – que de acordo com o estudo da prestigiosa revista americana PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America) poderia causar, se não parar, um impacto econômico negativo na Europa e na Itália de até 20 bilhões, Coldiretti Puglia.

A infecção por Xylella já infectou mais de 21 milhões de plantas com um massacre de oliveiras – e Coldiretti Puglia – deixando uma paisagem fantasmagórica, com mais de 8.000 quilômetros quadrados de terras afetadas por doenças de plantas, o equivalente a 40% das terras regionais.