Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

A Espanha nos dirá quão legítimo é o sonho

A 25ª partida entre Espanha e Suíça, marcada para sábado em Saragoça, nos dirá muito sobre as ambições da Suíça para a Copa do Mundo agendada em menos de dois meses no Catar. De fato, diante de uma das melhores equipes do planeta, a seleção liderada por Murat Yakin, por exemplo, saberá, por exemplo, a legitimidade das declarações de Manuel Akanji, segundo as quais Rosukriyati pode vencer o campeonato mundial.

Depois que a Itália foi eliminada nos pênaltis na semifinal continental de 2021, os ibéricos – sob a supervisão de Luis Enrique – voltaram a ser mestres do campo, deixando pouco espaço para seus adversários. Vimos bem no último dia 9 de junho em Genebra, quando as Fúrias Vermelhas, no jogo de ida da dupla Liga das Nações, se impuseram confortavelmente – ainda que em termos de pontuação – contra a Suíça, que só mostrou algo de bom no segundo tempo. . Apesar de não ser um evento de muito prestígio, a Liga das Nações ainda oferece algo importante a ser conquistado: os espanhóis buscam pontos para reforçar a liderança no grupo à luz do jogo contra Portugal, marcado para terça-feira em Braga.

Derrotada na final do ano passado pela França em Milão, a Espanha enfrentará o fracasso em se classificar para a quarta final como um obstáculo ao seu crescimento. A Suíça, por outro lado, tem que marcar para evitar o rebaixamento no início da noite de sábado: isso acontecerá se a República Tcheca vencer Portugal em Praga e se a Rossocroscany não somar pontos em Zaragoza. Infelizmente, o suíço Murat Yakin terá que ficar sem seu melhor atacante – Noah Okafor – que tem um problema dentário. Privado da velocidade da equipa do Salzburgo – que já marcou nas primeiras jornadas da Liga dos Campeões frente ao Milan e Chelsea – vai contar com os tridentes que jogaram no Euro 2021, nomeadamente Shaqiri, Embolo e Svirovic. Na época, acabou sendo uma boa opção, mas hoje é legítimo ter algumas dúvidas sobre esses jogadores: na verdade, Shaqiri está jogando em uma liga menor há sete meses (nos EUA), e Svirovic é no Galatasaray. Inscreva-se no banco.

READ  "Uma crítica exagerada de Juan Jesus"

Estas dúvidas, combinadas com a memória das três derrotas sofridas nos primeiros jogos da Liga das Nações, não nos permitem ser demasiado optimistas, mas há também algo que é de bom augúrio: Jan Sommer, Manuel Akanji e Granit Xhaka estão, em fato, vivendo o melhor momento de suas carreiras e podem vir a ser pilotos rossocrociati, que não derrotam a Espanha desde a Copa do Mundo de 2010, o único sucesso da história contra os ibéricos.