Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Há uma antiga estrada romana sob o lago veneziano – ciência e arte

Os restos de uma antiga estrada romana e um cais submerso na lagoa veneziana foram descobertos no Canal de Triporti. A sua presença, determinada graças ao mapeamento sonar de alta resolução do fundo do mar, confirma que séculos antes da fundação de Veneza já existiam povoações estáveis, com um sistema de estradas atravessado por transeuntes e marinheiros que se moviam entre Chioggia e a antiga cidade de Altino, na parte norte do lago.
Os resultados do estudo foram publicados em Relatórios Científicos por pesquisadores do Instituto de Ciências Marinhas do Conselho Nacional de Pesquisa (Ismar-Cnr) e da Universidade de Iuav em Veneza.


À esquerda, reconstrução da estrada romana no aqueduto Treporti na lagoa veneziana, agora submersa (direita) (Fonte: CNR)

“Fizemos o mapeamento por sonar porque queríamos estudar a morfologia dos canais em 3D, caso contrário são difíceis de investigar devido à turvação da água”, disse a geofísica do Cnr Fantina Madricardo à ANSA. “Ao examinar os dados coletados, observamos 12 estruturas antropogênicas, alinhadas a mais de um quilômetro na direção nordeste a uma profundidade de cerca de quatro metros”.

Uma dessas estruturas já foi objeto de investigação por Ernesto Canal (pioneiro da pesquisa arqueológica no lago) e censores em 1985 que, graças à inspeção dos mergulhadores Paolo Zanetti e Eros Torcato, descobriram alguns frascos e muitos basólias, pedras que os Romanos costumavam construir estradas.
Outras pedras semelhantes também foram documentadas durante uma busca pela Unidade de Mergulhadores da Polícia no verão de 2020.


Pedra inclinada, cercada por uma pedra quadrada, fotografada no verão de 2020 no Canal Treporti (Fonte: Luca Gagliardi, Nucleo Sommozzatori di Venezia da Polícia Estadual)

READ  Como você encontra seu equilíbrio emocional?

“Depois de nos compararmos com mergulhadores que encontraram vestígios semelhantes na década de 1980 e com a arqueóloga Maddalena Bassani – continua Madricardo – concluímos que se trata de conglomerados de pedras de pavimentação que pavimentaram uma estrada romana situada ao longo da costa arenosa submersa no mar hoje.”

Perto da foz do porto do Lido, a uma profundidade de 11 metros, os investigadores identificaram também outras quatro estruturas: a maior tem cerca de 135 metros de comprimento e até 4 metros de altura. “Pode ser uma parede – segundo a hipótese de Madricardo – talvez parte da estrutura de um porto ou de um cais.”

A pesquisa agora continua em colaboração com arqueólogos e especialistas do órgão de supervisão para entender melhor a natureza dos achados e como a construção de grandes represas como o Mose afetou seus locais.