Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

Alemanha recebe $ 2.250 milhões de entrada no plano de recuperação

Bruxelas, 26 (prisioneiros da Europa)

A Fundação Comunitária disse que, quinta-feira, a Comissão Europeia pagou antecipadamente à Alemanha 2.250 milhões de euros pelo plano de recuperação, através do qual receberá 25.600 milhões de euros em transferências directas nos próximos seis anos.

Assim, este montante equivale a 9% do total de recursos que Berlim receberá até 2026 do Fundo Europeu de Recuperação de 800 bilhões. Embora os Estados membros pudessem pedir 13% como entrada, as autoridades alemãs pediram a Bruxelas um valor menor.

“O Plano de Resiliência e Recuperação da Alemanha apoiará os esforços para desenvolver uma economia de hidrogênio eficiente, investir em transporte sustentável e reformar edifícios, bem como digitalizar serviços públicos, saúde e educação”, disse o Comissário Econômico Paulo Gentile.

O corpo executivo do grupo já desembolsou € 48.500 milhões em adiantamentos que foram repassados ​​a nove estados membros da UE, incluindo as quatro superpotências (Alemanha, França, Itália e Espanha).

Os primeiros pagamentos vieram de Portugal (2.200 milhões), Bélgica (770 milhões), Luxemburgo (12,1 milhões) e Grécia (4.400 milhões), seguidos da Itália (24.900 milhões), Espanha (9.000 milhões) e Lituânia (290 milhões)). . . e França (5,1 bilhões).

O Fundo de Recuperação da União Europeia alocou 800.000 euros entre transferências e empréstimos a serem direcionados aos estados membros entre este ano e 2026 com o objetivo de fortalecer as economias da sociedade após a crise causada pelo mundo acadêmico, mas também para perseguir prioridades comuns. , como o combate às mudanças climáticas.

Os adiantamentos que os parceiros da UE começaram a receber em agosto representam 13% dos fundos solicitados às autoridades da UE e representam o único pagamento que não está sujeito ao cumprimento das metas e objetivos acordados entre cada país e Bruxelas.

READ  “O patrimônio cultural é bom para a economia e para o trabalho”