Barcelos na NET

Lista de jornais e sites de notícias portugueses sobre esportes, política, negócios, saúde, empregos, viagens e educação.

A UEFA está a investigar incidentes homofóbicos e racistas durante os jogos da Euro 2020 da Hungria

Houve rumores e rumores que vazaram, mas agora é oficial. EU ‘UEFA Ele confirmou que estava investigando alguns episódios de discriminação ocorridos durante as duas primeiras partidas do Euro 2020Hungria para Arena Puskas A partir de Budapeste. a rede Renda, qual qual Funciona contra todos os tipos de discriminação Com todo o poder do futebol, ele divulgou uma reportagem destacando uma faixa anti-gay nas arquibancadas durante a derrota da última terça-feira contra Portugal. Cantos racistas também foram destacados durante o sorteio antes do jogo de sábado entre Maggiore e França, com a UEFA dizendo que um inspetor de ética e disciplina foi nomeado para conduzir uma investigação.

Uma declaração oficial do órgão que rege o futebol na Europa declara: “De acordo com o Artigo 31 (4) dos Regulamentos Disciplinares da UEFA, um Inspetor Disciplinar e de Ética da UEFA foi nomeado para conduzir uma investigação disciplinar sobre possíveis incidentes discriminatórios ocorridos na Arena Puskas, em Budapeste, durante os jogos da fase de grupos do Euro 2020 entre as seleções da Hungria e Portugal em 15 de junho de 2021 e entre a Hungria e a França eles jogaram em 19 de junho de 2021. ” Nas próximas horas, deve haver atualizações sobre a história.

Budapeste e Puskas Arena são os únicos locais na Europa 2021 que permitirão uma audiência completa para os jogos realizados pelo presidente Orban e seu governo. A Hungria está atualmente em último lugar no Grupo F, com um ponto em dois jogos: Depois de uma derrota por 3-0 no jogo de estreia frente a Portugal, os húngaros treinados pelo italiano Marco Rossi empataram 1-1 com a campeã mundial França. ontem. Eles enfrentarão a Alemanha na última rodada, na noite de quarta-feira, no Allianz Arena, em Munique.

READ  Juventus, Inter, Ronaldo e Lukaku alertam: "Ninguém é transferível"