Amazonas Rural vai construir casas para seringueiros do Estado pelo programa Minha Casa Minha Vida Rural

Os seringueiros do Amazonas, cadastrados no programa de Revitalização da Produção da Borracha no Estado – uma das principais ações do programa Amazonas Rural, lançado em julho deste ano com a proposta de promover ações de fomento à atividade extrativista florestal não madeireira – vão receber casas populares do Governo do Estado.
O programa de revitalização prevê a construção de casas para seringueiros nas colocações. As primeiras unidades serão construídas nas calhas dos rios Juruá, Purus e Madeira, no primeiro semestre de 2013.
A assinatura de um convênio entre o Governo do Amazonas, através da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), com o Banco do Brasil aconteceu nesta quinta-feira (22 de novembro), com a meta de iniciar a construção das moradias rurais para os seringueiros.
O superintendente Estadual do Banco do Brasil, Marcelo Mendes Palhano, disse que a parceria será a primeira de muitas que a instituição pretende fazer com o Governo do Amazonas com o objetivo de levar mais dignidade aos trabalhadores da floresta.
“Esse é um grande compromisso que assumimos porque se trata de um fato histórico. E nós vamos fazer o nosso melhor. Essas pessoas construíram a história do nosso País e merecem morar melhor”, disse Palhano.
Qualidade de vida – O secretário da Sepror, Eron Bezerra, explicou que o Banco do Brasil é um símbolo do nacionalismo e por isso não poderia ficar fora desse momento. “As casas são simples, mas muito valiosas e muito importantes para os moradores do interior, que são os guardiões da floresta. Por isso, essas pessoas têm que receber do poder público uma moradia digna. E é isso que o governador Omar Aziz está procurando oferecer com esse Programa de Habitação Rural”, reiterou Eron.
O Programa Nacional de Habitação Rural Minha Casa, Minha Vida voltado aos seringueiros vai construir, inicialmente mil moradias com sala, quarto, cozinha, banheiro e varanda. Cada residência estará avaliada em R$ 25 mil, totalizando R$ 25 milhões nesta primeira etapa. Os recursos serão liberados pelo Governo Federal, através do Ministério das Cidades.
Governo revitaliza cultura da borracha – O programa Amazonas Rural, principal política do Governo do Amazonas para o setor primário, pretende levar o programa de Revitalização da Produção da Borracha para 28 municípios, que no total receberão 2000 kits sangria, nesta primeira fase. O programa, lançado na terça-feira (20 de novembro) em Santa Izabel do Rio Negro, pretende também inserir comunidades indígenas do Alto Rio Negro dos municípios de São Gabriel da Cachoeira e Barcelos.
A meta do Governo do Amazonas é fortalecer a cadeia de valor da borracha natural, com o aumento da produção e melhoria da qualidade do látex, visando atender a demanda de mercado regional e nacional, gerando benefícios sociais, econômicos e ambientais para as comunidades tradicionais envolvidas naprodução de borracha no Estado.
“É mais uma alternativa econômica a partir do uso sustentável da floresta, gerando emprego e renda a produtores de borracha. É desta forma que o Governo do Estado trabalha, criando oportunidades e promovendo melhoria na qualidade de vida dos povos da floresta”, explica o secretário de produção rural do Amazonas, Eron Bezerra.

Notícias Relacionadas