Entidade que representa índios do rio Negro completa 25 anos e elege tariana como primeira mulher presidente

A índia Almerinda Ramos, do povo tariano, é a primeira mulher a presidir a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn). Ela foi eleita por voto direto na 17ª assembleia da entidade, realizada dias 5 a 8, no Município de São Gabriel da Cachoeira, a 858 quilômetros de Manaus, e vai ficar no cargo pelos próximos quatro anos.

A assembleia da Foirn, em São Gabriel da Cachoeira, foi realizada numa maloca indígena

A assembleia serviu também para comemorar os 25 anos da Foirn, criada em 30 de abril de 1987. Reuniram-se lideranças indígenas e instituições, como as secretarias estaduais para os Povos Indígenas (Seind), Educação (Seduc) e Produção Rural (Sepror), a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), a Secretaria de Especial de Saúde Indígena (Sesai), o Instituto Socioambiental (ISA) e a Fundação Nacional do Índio (Funai). O tema do encontro foi “Movimento Indígena, Direitos dos Povos e Diálogos sobre Gestão e Sustentabilidade”.

Almerinda substitui Abraão de Oliveira França, do povo baré. A nova diretoria tem como vice diretor-presidente Isaías Fontes Baniwa e, como suplentes, os tukanos Renato Matos, Nildo Fontes e Marivelton Baré.

Nova diretoria da Foirn, da esquerda para a direita, Marivelton Barroso, Nildo Fontes, Almerinda Ramos (presidente), Renato Matos e Isaias Pereira

Bonifácio José Baniwa, secretário da Seind, falou dos dez anos de participação indígena no Governo do Amazonas, além do plano de 50 anos. Ele planeja integrar as ações governamentais com a formulação, implementação, execução e gestão de políticas públicas de etnodesenvolvimento dos povos indígenas, por meio do programa Amazonas Indígena.

Fonte: Blog do Marcos Santos

Notícias Relacionadas