Trip terá de justificar ‘preços abusivos` de passagens aéreas no AM, diz Rotta

Duas semanas após participar de uma reunião na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) e sedeputadi marcos rottacomprometer a transportar material biológico para o interior, a Trip volta a ter suas ações questionadas na Casa. Desta vez, o deputado estadual Marcos Rotta (PMDB) quer que a companhia justifique a cobrança de ‘preços abusivos’ de passagens aéreas. Para explicar a prática, o deputado irá convidar representantes da Trip para participar de uma reunião na Assembleia na próxima semana. “Vamos pressionar novamente a Trip, mas desta vez será pela prática de “preço abusivo” na venda de passagens aéreas para os municípios do interior do Estado. Hoje a empresa conta incentivos fiscais do Estado para atuar na região e, apesar disso, não reduziu o valor das passagens”, comentou Rotta. Segundo dados repassados pelo secretário Estadual de Planejamento, Airton Claudino, desde abril de 2010 – quando entrou em vigor o Decreto nº 29.263/09, que reduziu de R$ 25% para 7% a alíquota do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre o combustível utilizado pelas empresas que atuam no transporte aéreo de passageiros no Amazonas -, o Estado já renunciou quase R$ 4 bilhões em prol da Trip.

“Foram R$ 697 milhões em 2010 e mais R$ 3,2 milhões em 2011. Mas, infelizmente, a Trip ainda não repassou para os amazonenses os resultados obtidos com o benefício tributário que, por tabela, acarretaria em passagens aéreas mais acessíveis”, lamentou Rotta, ao alertar que, caso a tabela de valores não seja revista, a Trip poderá perder mais de R$ 4 milhões com a isenção do ICMS concedido pela Estado.
Relatório comparativo de preços
Para a reunião com a Trip, Rotta prepara um relatório comparativo de preços de passagens aéreas praticados pela companhia no Amazonas e em outros Estados. Segundo o deputado, uma viagem para o município de Barcelos (a 396 quilômetros de Manaus) é 166% mais cara que uma visita à capital vizinha, Belém (PA). “Para chegar a Barcelos de avião, pela Trip, paga-se R$ 639,90, enquanto que para a capital paraense a viagem sai por R$ 239,90”, exemplificou.
O deputado afirmou ainda que, mesmo entre os municípios amazonenses, há diferenças que precisam ser explicadas. Segundo ele, uma passagem para Tefé — que fica a 516 quilômetros de Manaus — custa R$ 579,90, enquanto que para Barcelos, localizado mais próximo da capital amazonense, o bilhete vale R$ 639,90. “Há coisas que precisam ser esclarecidas urgentemente”, disse.
Fonte: outroladodameda.com