Rios amazônicos: qual a melhor época para pescar tucunaré-açus

Rios amazônicos: qual a melhor época para pescar tucunaré-açus
4.3 (86.67%) 6 votes

new-world-record-tucunare
A dúvida que mais costuma incomodar quem planeja realizar uma pescaria inesquecível nos rios amazônicos é sobre a melhor época para viajar até lá. Com base em experiências anteriores, o consultor, Voitek Kordecki, aborda essa questão para você programar o período mais promissor para pescar os Tucunarés-açus.
A temporada de pesca ao Tucunaré-açu nos rios amazônicos é relativamente curta. Isso porque, na maior floresta tropical do mundo, o período de seca — época mais indicada para a realização de boas pescarias — dura seis meses, e o das chuvas, quando as fisgadas se tornam difíceis, outros seis. Mas a Amazônia é tão grande que essa realidade muda radicalmente de região para região. Um exemplo disso é o que ocorre nos rios cujo acesso é melhor a partir de Manaus — caso do Madeira e seus tributários, entre outros. Enquanto eles começam a apresentar boas condições já a partir de agosto, os programas de pesca que têm como ponto de partida a região de Barcelos ou de Santa Isabel, no alto rio Negro, só começam a ser viáveis a partir de dezembro. Ou seja: o ciclo de chuvas e secas são exatamente o oposto.

Se você prefere rios nas caixas e lagos limpos, a melhor época é agora!
Em razão disso, é de se supor que temos uma temporada de seis meses de pesca na parte baixa (nas proximidades de Manaus) e outros seis na parte superior. Mas não é bem assim! No alto rio Negro, em função de fenômenos como o El Niño e La Niña, a temporada pode durar apenas quatro meses — ou até menos. E, como é exatamente o alto rio Negro e seus afluentes o destino mais desejado pelos aficionados dos grandes Tucunarés, vale considerar outro fator de relevante importância: é que, apesar de se estipular os meses nos quais a temporada começa e termina nessa região, no caso de final de setembro até março, fatores climáticos podem interferir nesse espaço de tempo e, assim, fazê-la começar mais tarde ou, no outro extremo, terminar mais cedo.

Experiências anteriores mostram que quem opta pelo final da temporada, isto é, entre fevereiro e março, tem obtido melhores resultados. Isso porque, em ano de La Niña (cheia forte), o melhor período é o final da temporada — entre fevereiro e março. Nos últimos anos de La Niña, conseguimos excelentes condições de pesca nos afluentes da margem direita do rio Negro, como é o caso dos rios Aracá e Demeni, que enchem mais tarde que os da margem oposta. Quando não ocorre repiquetes — mudança súbita no nível das águas —, subimos mais os afluentes, mesmo que, para isso, seja preciso navegar dois dias a mais que o normal com o objetivo de encontrar os grandes Açus, que, nesse caso, estão mais próximos às cabeceiras. Já quando ocorre o repiquete, o melhor é não subir muito esses rios, uma vez que a influência desse fenômeno é menos acentuada.

Nos anos de seca (El Niño), tem sido mais proveitoso do início ao meio da temporada (entre setembro até novembro). Os peixes ficam mais ativos, as iscas artificiais de superfície — em especial, as de hélices — são muito produtivas. E, além de tudo, na seca, é praticamente impossível conseguir subir até as cabeceiras dos afluentes, mesmo com barcos de baixo calado. Sempre que possível, é preferível pescar no início da temporada, pois, apesar de estar sujeito às adversidades climáticas, a pressão de pesca é infinitamente menor.

Fonte: Revista IPesque

Notícias Relacionadas