Primeiro dia de greve dos bancários fecha 65 agências em Manaus, diz Sindicato

Primeiro dia de greve dos bancários fecha 65 agências em Manaus, diz Sindicato
Avalie este post


Das 120 agências bancárias de Manaus, 65 delas fecharam as portas nesta terça-feira, primeiro dia da greve da categoria no Amazonas, de acordo com dados do Sindicato dos Bancários do Amazonas (Seeb-AM).

A greve acontece no Amazonas e em pelo menos outros 20 Estados do País. De acordo com o o presidente do Seeb-AM, Nindberg Santos, não houve registro de maiores transtornos nas agências que abriram as portas. “Nós avisamos com antecedência, então muitas pessoas agilizaram seus serviços nos bancos”, disse.

Segundo Nindberg, dos seis diferentes bancos existentes em Manaus, somente a Caixa Econômica Federal fechou 100% suas agências. 
“A Caixa e o Banco do Brasil são os bancos que mais aderiram à greve, mas esperamos que amanhã (01) mais agências fechem as portas para participar da mobilização”, disse ele.
 
O sindicalista afirmou que a zona com mais paralisações foi no Centro de Manaus. “Duas agências Bradesco, uma do Itaú e outras do HSBC e Santander do Centro da cidade estão participando da greve. Então as pessoas que utilizam essas agências, devem procurar bancos em outro bairro”, falou.
 
Além de Manaus, trabalhadores de agências bancárias dos municípios de Parintins, Itacoatiara, Manacapuru e Rio Preto da Eva, também aderiram ao movimento. “Como nos municípios existem apenas uma agência de cada banco, apenas algumas estão em greve, outras estão funcionando normalmente”, disse ele. 
O técnico de patologia clínica Antônio Ricardo disse que utilizou o banco normalmente para pagar as contas. “Eu frequento sempre a agencia da Praça 14, e hoje, como nos outros dias, fui atendido normalmente. Não percebi excesso de pessoas”, falou.
 
o gerente da agência do Bradesco na Praça 14, Valdemir Oliveira, disse que os atendimentos estão normais. “Não tenho informação se vamos ou não parar, mas, por enquanto estamos trabalhando normalmente. O número de pessoas nas filas também é normal, em comparação a qualquer outro dia”, afirmou.
 
Reajustes e Melhorias
 
A categoria rejeitou a proposta de 7,35% de reajuste da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). De acordo com o sindicato, os trabalhadores pedem 12% de reajuste salarial, além da contratação de mais pessoas nas agências.
 
Outro motivo da greve é a falta de segurança nas agências. “Já pedimos mais segurança nos bancos, mas nada de mudança. Queremos porta giratória com detector de metal e seguranças mais preparados para nos ajudar nas agências”, ressaltou Nindberg.
 
Fonte: d24am.com (Karina Palmeira)

Notícias Relacionadas