Governador José Melo critica demora na entrega da primeira etapa do Prosamim 3

Prosamim 3 Atrasada
Durante fiscalização às obras do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim), na bacia do São Raimundo, nesta quarta-feira (16), o governador do Amazonas, José Melo, criticou duramente a empreiteira Andrade Gutierrez, responsável pelo serviço, por conta do terceiro adiamento consecutivo no prazo de entrega do empreendimento. Em coletiva de imprensa, ele garantiu que vai exigir o cumprimento de um cronograma mais reduzido no tempo de execução da obra e que vai cobrar explicações plausíveis para o novo atraso.

Melo explicou que, apesar de terem sido montadas três frentes de obras no primeiro trecho do Prosamim 3, nas proximidades da ponte Fábio Lucena, que liga os bairros do São Raimundo e Aparecida, na Zona Oeste de Manaus, o empreendimento deveria ter sido entregue antes mesmo do ex-governador Omar Aziz ter renunciado ao cargo. Segundo ele, a área vai receber o Parque Residencial Rio Negro, com espaço de lazer, mirante de observação para a orla do rio e uma quadra-bairro com 220 apartamentos, beneficiando mais de seis mil .

“Antes o prazo era janeiro, depois passou para o fim de junho e agora a empresa chega com a conversa fiada de que o conjunto só vai estar pronto no fim do ano. A empresa alega a quantidade de chuva que tem prejudicado esse prazo previsto. Agora, vamos redobrar a fiscalização sobre esse empreendimento, que é muito importante para Manaus. O nosso governo precisa que estas obras tenham ritmo, afinal é o dinheiro do povo que está sendo empregado aqui”, enfatizou.

Mais de mil operários trabalham na finalização dos blocos habitacionais e realizam os serviços de terraplanagem e micro e macrodrenagem. A intervenção total do Prosamim 3 engloba os bairros São Raimundo, Glória, Aparecida, Presidente Vargas e parte do Centro. O investimento é da ordem de US$ 400 milhões, sendo US$ 280 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e US$ 120 milhões como contrapartida do Estado.

“Essa é uma obra de valor social inestimável. Retiramos as pessoas que moravam nessas palafitas, em condições subumanas e, agora, estamos transformando essa área. Haverá um conjunto habitacional, um novo sistema viário e será um dos pontos turísticos mais bonitos de Manaus. Essa orla vai ser um espaço de lazer com um mirante para o nosso rio Negro, um novo cartão postal para essa paisagem belíssima que vai nos dar muito orgulho”, frisou o governador.

Notícias Relacionadas