Comercialização de peixes ornamentais no Amazonas tem queda de 30 milhões

A pesca na Amazônia é uma atividade tradicional com grande potencial para o desenvolvimento social e econômico das populações amazônicas. Segundo a Secretaria de Estado de Produção Rural (sepror), a venda de peixes ornamentais ocupa a 5ª posição do produto extrativista mais importante da economia amazonense. Em 2008, foram vendidos 40 milhões de unidades de peixes ornamentais. Atualmente, o número chega a 10 milhões de peixes.
A queda afetou a economia do Estado e a vida dos ribeirinhos que dependem da renda gerada pela comercialização destes peixes. Nos anos de 2010 e 2011 o setor gerou U$ 1 milhão em exportação e empregou cerca de mil trabalhadores diretos e indiretos. Entretanto, há quatro anos,  rendia aproximadamente de U$ 4 milhões e empregava até 16 mil pessoas.

Para o secretário da Sepror, Eron Bezerra, o principal motivo da queda é a “díficil relação com os atravessadores”. Segundo ele, o milheiro do peixe cardinal, o mais popular, custa R$ 16. Um exempler do peixe é vendido fora do país, pelo mesmo atravessador, por U$ 1. Eron ainda destaca outros fatores que impedem o crescimento da venda destes peixes. “Falta de organização dos piabeiros (os vendedores do produto), preço de  mercado para a venda das espécies e há pouca infraestrutura para a atividade”, afirma.
Para diminuir esses impactos e ajudar o extrativismo dos peixes voltar a crescer, o Governo do Estado em parceira com o Ministério da Pesca, irá construir um centro de entreposto de pesca entre Manaus e Barcelos. O local servirá para adaptação, triagem e criação das espécies mais importante no mercado.
O Estado também tem conversado com os piabeiros para estabelecer um padrão de preços e qualidade do produto. Eron também ressalta que já existe uma política pública voltada a remediar a situação. “O Estado já aprovou a subvenção de R$ 20 até R$ 30 para suplementar a renda dos piabeiros”, afirma o secretário.

Dados

A espécie mais capturada é o cardinal, responsável por 65%, seguido dos Rodostomus (6%), Borboletas (3%), Coridoras (2%), Discus e outros. O período de safra ocorre entre agosto a abril. Hoje, os peixes são exportados para 33 países, os principais são Alemanha e Japão.

Notícias Relacionadas