Após mais de 6h de paralisação de 100% da frota, ônibus voltam a circular em Manaus

Após mais de 6h de paralisação de 100% da frota, ônibus voltam a circular em Manaus
5 (100%) 7 votes

Os ônibus do transporte coletivo de Manaus voltaram a circular após cerca de 6 horas do início da paralisação de 100% da frota que circula nas ruas da capital. Cerca de 800 mil usuários foram afetados nesta segunda-feira (26). Os rodoviários reivindicam reajuste salarial de 12%.

Os coletivos começaram a sair das garagens e circular pelas ruas por volta de 11h.

Uma reunião entre os rodoviários e a diretoria do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) deverá ser realizada na tarde desta segunda-feira para tratar sobre as reivindicações de cobradores e motoristas.

Os ônibus do transporte coletivo deixaram de circular em Manaus no início da manhã desta segunda-feira (26). De acordo com informações do Sinetram, a paralisação atingiu 100% da frota das 10 empresas que atuam na cidade.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, a categoria quer 12% de reajuste salarial e adicional de insalubridade. Na última semana, rodoviários também realizaram outras paralisações.

A população lotou pontos de ônibus e reclamou. Muitos tiveram que usar táxis, mototaxis e micro-ônibus alternativos, que normalmente transitam na Zona Leste e tiveram a circulação liberada até o Centro.

No início da manhã, várias pessoas se aglomeravam em pontos nas principais vias da capital. Por volta de 9h30 os terminais de ônibus, onde os usuários podem mudar de coletivos sem pagar nova passagem, estavam vazios.

Decisão da Justiça

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) acatou, na tarde do domingo (25), o pedido feito pelo Sinetram e determinou que os membros do Sindicato dos Rodoviários se abstenham de realizar qualquer movimento paredista nesta segunda-feira (26).

Na decisão, a desembargadora plantonista do Tribunal Regional do Trabalho da 11º Região, Solange Maria Santiago Morais, determinou que em caso de descumprimento, o Sindicato dos Rodoviários poderá ser multado em até R$ 100 mil por hora de paralisação. Além disso, os sindicalistas devem manter distância de no mínimo 50 metros da entrada das garagens, sob pena de multa no valor de R$ 100 mil por hora.

Fonte: G1 Amazonas

Compartilhar: