Amazônia Conectada pretende implantar “um rio” de fibra ótica em segunda fase do projeto

Amazônia Conectada pretende implantar “um rio” de fibra ótica em segunda fase do projeto
5 (100%) 10 votes

Não são somente as teleoperadoras como Vivo e TIM que seguem  literalmente  investindo na expansão da fibra ótica pelo país, o Exército Brasileiro por meio do Amazônia Conectada também. Até o final agora do mês de abril, mais precisamente no dia 24 de abril, terá início a segunda etapa do projeto, que tem como objetivo implantar quase 8 mil km de cabos para interligar 52 municípios da região.

Por conta de toda geografia da região amazônica, repleta de inúmeros rios, serão lançados cabos subfluviais quilômetros de cabos fluviais, para esta empreitada serão necessário em torno de 600 km de fibras óticas fornecidas pela empresa francesa Nexans.

Vale ressaltar que a primeira etapa cobriu uma série de outras regiões como a do gasoduto Urucu-Coari-Manaus e também um outro trecho, entre Manaus e Novo Airão, este no que o Exército chama de infovia do Alto Rio Negro, que tem como meta alcançar São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel e Barcelos.

​”Estamos trabalhando com a meta de R$ 30 a R$ 40 milhões para viabilizar o quarto estágio, Tefé/Fonte Boa – Novo Airão/Barcelos – Manaus/Itacoatiara”, explica o major Luciano Sales, gerente do Programa Amazônia Conectada.

Essa segunda fase do projeto prevê ainda mais 450 km de cabos que seguirão pelo Alto Solimões até chegar a cidade de Tabatinga, fronteira com a Colômbia, conectando 20 municípios ao longo desse trajeto.

Para essa etapa das obras o gasto total está previsto em R$ 70 milhões.

Compartilhar:

Comentários