Amazonas terá quatro Escolas Internacionais em Tecnologia da Informação com apoio financeiro da Fapeam

Amazonas terá quatro Escolas Internacionais em Tecnologia da Informação com apoio financeiro da Fapeam
Avalie este post

Divulgacao-Secti-Am-500x332
O Amazonas passará a contar com quatro Escolas Internacionais em Tecnologia da Informação, cujo objetivo é a formação de recursos humanos altamente qualificados em tecnologia da informação. As unidades serão instaladas na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), única instituição contemplada pela Chamada Pública 003/14, conforme a Decisão 312/14.

As Escolas proporcionarão um ambiente de debate entre pesquisadores, nacionais e internacionais, professores e alunos de tecnologia da informação. Serão ofertados cursos de curta duração por especialistas para o desenvolvimento de tecnologias, além de eventos que promovam a integração dos profissionais. Nesses ambientes será possível difundir técnicas computacionais e robóticas aplicadas para a proteção e o desenvolvimento sustentável no contexto da Amazônia Ocidental.

O Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), disponibilizará R$ 2,212 milhões para a implementação das Escolas Internacionais em Tecnologia da Informação. Os recursos financeiros serão concedidos na forma de auxílio pesquisa e bolsas.

As propostas aprovadas foram contempladas pelo Programa Estratégico de Pesquisa e Inovação na Área de Tecnologia da Informação Proti – Amazônia – Apoio à Realização de Escolas Internacionais Avançadas em Tecnologia da Informação – (PROTI/EIATI). O Programa é realizado em parceria com a Agência Brasileira de Inovação (Finep).

Formação – Entre as propostas contempladas está a do doutor em Ciências da Computação e professor do Instituto de Computação (Icomp) da Ufam, Marco Antônio Pinheiro de Cristo. Intitulado ‘Escola Avançada em Computação’, o projeto visa ofertar cursos de curta duração nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para web.

“Além de cursos, farão parte da escola outros eventos que visam promover a integração entre estudantes, professores e pesquisadores. Queremos contribuir com o desenvolvimento acadêmico dos participantes, ampliar redes de contato e atrair jovens talentosos, promissores e profissionais competentes em áreas de interesse estratégico para a região”, disse Cristo.

O doutor em Engenharia Elétrica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e professor do Icomp/Ufam, José Reginaldo Hughes Carvalho, também teve projeto aprovado. Por meio da ‘Escola Avançada de Sistemas Computacionais e Robóticos’, o pesquisador pretende promover e difundir técnicas de sistemas computacionais robóticos aplicados para a proteção e o desenvolvimento sustentável no contexto da Amazônia Ocidental.

“A ESCA será implementada em duas etapas. A primeira abordará o domínio de aplicação, em cinco áreas estratégicas para a região: monitoramento ambiental; telecomunicações; gás e petróleo; energia e mineração. A segunda etapa abordará o desafio para construir e operar estes sistemas, usando como modelo de referência os nove níveis de Prontidão Tecnológica e tratando aspectos relacionados com Controle e Garantia da Qualidade”, disse Hughes.

Notícias Relacionadas