Alunos de cinco municípios da rede estadual de ensino recebem a premiação da I Olimpíada Amazonense de Língua Portuguesa

Alunos de cinco municípios da rede estadual de ensino recebem a premiação da I Olimpíada Amazonense de Língua Portuguesa
5 (100%) 12 votes

Alunos de cinco municípios da rede estadual de ensino recebem a premiação da I Olimpíada Amazonense de Língua Portuguesa

Cinco jovens estudantes do interior do estado e da capital receberam, na manhã desta terça-feira, 31, a premiação da I Olimpíada Amazonense de Língua Portuguesa. Dividido em cinco categorias –   Conto, Poesia, Desenho, Crônica/Vídeo e Documentário/Vídeo – a solenidade de premiação aconteceu no auditório do Centro de Formação Profissional Padre José Anchieta (Cepan), bairro Japiim, zona sul de Manaus, e contou com a presença do secretário de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc), professor José Augusto de Melo, bem como as secretárias adjuntas da Capital e Pedagógico, professoras Maria Carneiro e Luciana Lima de Brito Cáuper. 

Acompanhado de seus professores, os alunos Talisson da Silva Crisóstomo (E.E. Ipixuna – Ipixuna/AM); Ângelo Prestes Marques (Ceti José Holanda Cavalcante – Borba/AM); Samily Vitória Silva de Andrade (E.E. José Leite – Boca do Acre/AM) e Emilly Thamires Souza de Souza (E.E. Leopoldo Neves – Manacapuru/AM) receberam a premiação das mãos das secretárias Luciana e Maria Carneiro e também foram prestigiados por todo o interior por meio da transmissão ao vivo pelo sistema IPTV (internet por televisão) do Centro de Mídias do Estado do Amazonas (Cemeam).

 O secretário José Augusto parabenizou os alunos vencedores e afirmou que o reconhecimento desses talentos é importante para a valorização e a produção de gêneros textuais. “Quando a gente faz a culminância de um projeto como esse, nem todos têm a dimensão do trabalho percorrido. Os alunos que hoje foram premiados não são alunos médios, eles são alunos únicos, singulares, inspiram e motivam todos os alunos da rede. Precisamos, sim, incentivar a participação em concursos e festivais, de música e arte”, disse o secretário José Augusto.

 O titular da pasta também enfatizou que a educação não é só habilidade cognitiva, mas também não quer dizer que quando um aluno está no coral ou produzindo poemas, está deixando de estudar, pois tudo faz parte do aprendizado do aluno.

 Com o tema: “Registrando o discurso midiático e narrativas do cotidiano amazonense”, os alunos passaram por três seletivas até a escolha do vencedor. “A Olpam não é um programa de caça-talentos, mas oportuniza a interação na escola, a pesquisa da comunidade interna e externa, e saber que é uma competição, e também é importante”, ressaltou a coordenadora da Olpam, professora Francisca França.

  Os premiados 

Representando a Escola Estadual Ipixuna, no município de Ipixuna, o estudante Talisson da Silva foi o vencedor na categoria Crônica/Vídeo. Ele mostrou o dia a dia do pescador, desde a saída, logo cedo para o trabalho, até o retorno, com as enfiadas de peixe. “Não foi difícil produzir o vídeo, porque  retratei situações que acontecem no dia a do no meu município”, declarou o estudante que cursa a 1ª série do Ensino Médio e que teve como professora orientadora Elissângela da Silva .

 

 Na categoria Poema, a pequena Samily Vitória, 10, do município de Boca do Acre, esbanjou talento ao compor o poema “Sou filha dessa terra”, na qual retratou as belezas da natureza.

 “Foi a minha primeira poesia e demorei dois dias para terminar. Procurei retratar tudo o que é natural lá (Boca do Acre), a natureza, os pássaros, o rio”, comentou a poetisa, do 5º ano do Ensino Fundamenta e representa a Escola Estadual José Leite. Ela veio pela primeira vez a Manaus e estava acompanhada de sua mãe. Maria Antônia e do professor orientador Daniel Costa.

 

 O estudante de Borba, Ângelo Prestes conquistou o prêmio na categoria Documentário/Vídeo. Com o tema “Transporte Rural dos Agricultores Borbenses”, ele e outro colega de sala de aula produziram um vídeo mostrando a rotina dos agricultores do município para a labuta. “Acompanhamos o trajeto que o agricultor rural borbense faz da cidade até o local do trabalho, por meio do caminhão. Foi interessante porque nesse exato dia, a família na qual entrevistamos ia fazer a produção de farinha e nós participamos desse trabalho, colocando a mão na massa”, destacou o estudante da 1ª série do Ensino Médio.

 Vinda do município de Manacapuru, a estudante Emilly Thamires demorou dois dias para produzir a obra de arte vencedora na categoria Desenho. Ela é aluna do 4º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Leopoldo Neves. Conforme o professor dela, Roberto Ferreira, foi realizado um panorama sobre as mídias e o cotidiano amazonense e isso inspirou os alunos. Em seguida teve a produção do desenho. “Ela tem um talento acima da média, pra mim não foi uma surpresa. No item desenhar, ela é inigualável na pintura”, elogiou. 

Na categoria Conto, a estudante Yasmim da Silva foi premiada com o tema: “Quem toma ação não sai mais daqui”. Ela representa a Escola Estadual Brigadeiro João Câmara, em Manaus, e cursa o 7º ano do Ensino Fundamental.

 Iniciado no mês de abril deste ano, a I Olpam é uma iniciativa que estimula a produção de textos entre os estudantes, conforme informou a coordenadora da Olimpíada, professora Francisca França. “A Olpam é fruto da (Olimpíada) Nacional, que iniciou em 2008. O Amazonas é o primeiro Estado a realizar a Olimpíada de Língua Portuguesa, seguido do Piauí”, destacou a professora, ao acrescentar que o Amazonas é o Estado que mais leva escolas nas olimpíadas a nível nacional, com sete escolas. 

Notícias Relacionadas

Compartilhar:

Comentários